domingo, abril 20, 2014

A debate pós a morte de Bernardo Boldrini no facebook

Impressiona a página no facebook aberta pela avó de BERNARDO BOLDRINI. 

Existem ali relatos que os jornais não publicam, confissões, detalhes e críticas. Tudo indica que essa foi uma tragédia anunciada.

 https://www.facebook.com/

PEIXOTOS

Dias atrás, conversando com o amigo Guilherme Bonotto Berh, expus-lhe a situação do grupo dos Peixotos dentro do PP. 

Ele concorda que as possibilidades de Marco Peixoto ganhar a convenção em 2016 são complicadas, especialmente pela fartura de nomes do grupo dominante atual dos Pintos: Rodrigo Gorski, Chico Gorski...

Disse-lhe, então, que se falava muito, nos bastidores, que o destino de Marco seria o PSD. 

Ele discordou e disse-me que o destino natural do Conselheiro e seu grupo, nesse caso, seria o PTB de Sandro Palma. 

Apenas ouvi e agora faço o registro.

sábado, abril 19, 2014

Sobre enquetes: posição do Tribunal Superior Eleitoral

http://www.tse.jus.br/noticias-tse/2014/Janeiro/tse-proibe-enquetes-e-regulamenta-pesquisas-eleitorais

Calendário Eleitoral: TSE proíbe enquetes e regulamenta pesquisas eleitorais

Assista à reportagem sobre o assunto.
Ouça matéria sobre o tema.

Desde 1º de janeiro, o registro de pesquisa eleitoral para candidatos a presidente da República é obrigatório junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Já a realização de enquetes e sondagens relativas às eleições de 2014 está proibida, de acordo com a Resolução nº 23.400, aprovada pelo Plenário do TSE em 17 de dezembro do ano passado.

Há diferença entre pesquisa eleitoral e enquete eleitoral. Enquanto a pesquisa deve seguir os rigores dos procedimentos científicos, a enquete apenas faz sondagem da opinião dos eleitores sem atender aos requisitos formais, como segmentação dos entrevistados, metodologia, valor e origem dos recursos despendidos no trabalho, entre outros (Lei n. 9.504/1997, art. 33, I a VII, e § 1°).

Nas eleições municipais de 2012, as enquetes e sondagens podiam ser realizadas, desde que sua divulgação estivesse condicionada à informação de que se tratava de mero levantamento de opiniões, sem controle de amostra. Agora, os veículos de comunicação não poderão mais divulgar esse tipo de informação durante o período de campanha.

As pesquisas referentes aos cargos de governador, senador, deputado federal, deputado estadual e distrital deverão ser registradas nos tribunais regionais eleitorais. Quem divulgar a informação sem o prévio registro estará sujeito à multa no valor de cerca de R$ 53 mil a R$ 106 mil (Lei nº 9.504/97, art. 33, § 3º).

Por fim, o registro e/ou a divulgação dos dados poderão ser impugnados pelo Ministério Público, candidatos, partidos políticos ou coligações perante o juiz eleitoral competente.

Mudanças

Entre as mudanças previstas na resolução sobre o registro e a divulgação de pesquisas eleitorais para as Eleições 2014, está a que prevê o uso de equipamentos eletrônicos portáteis, como tablets e similares, para fazer as pesquisas. No entanto, esses aparelhos estarão sujeitos a auditorias feitas “a qualquer tempo”, pela Justiça Eleitoral.

A Resolução nº 23.400/2013 também estabelece que as pesquisas de opinião pública realizadas em data anterior ao dia do pleito poderão ser divulgadas a qualquer momento, desde que registradas no TSE com no mínimo 5 dias de antecedência da divulgação. A única exceção envolve a chamada pesquisa “boca de urna”, cuja divulgação somente poderá ocorrer após o fim da votação no respectivo Estado.

Para isso, deverão ser observados os horários estipulados pela resolução para que os resultados possam ser divulgados. Nas disputas para cargos de deputados estaduais e federais, senador e governador, a informação só poderá ser veiculada a partir das 17h do horário local do dia da eleição. Já os dados sobre a disputa para presidência da República só poderão ser divulgados após as 19h do horário de Brasília, no primeiro turno, e depois das 20h, no segundo turno.

Solicitações

Até esta quarta-feira (29), já solicitaram registro dos dados junto ao Tribunal Superior Eleitoral 29 entidades e empresas que realizam pesquisa de opinião pública relativa às Eleições 2014 ou aos seus candidatos. Desse total, seis correspondem a levantamentos de abrangência nacional e outras 23 são de alcance estadual.

O registro das pesquisas é um procedimento realizado via internet a qualquer tempo, independente do horário de funcionamento das secretarias dos tribunais eleitorais. As informações e os dados registrados no sistema ficam à disposição de qualquer cidadão interessado pelo prazo de 30 dias.

Para consultar as pesquisas eleitorais de entidades e institutos que já solicitaram registro no TSE basta acessar a aba “Eleições”, na parte superior do site do Tribunal, clicar no meu “Eleições 2014”, depois em “Pesquisas Eleitorais” e, por último, no link “Consulta às pesquisas registradas”.

JP/DB
 

Sobre enquetes: posição oficial do TRE-SP

Pesquisas eleitorais devem ser registradas e enquetes sobre eleições estão proibidas, em 31.01.2014

 http://www.tre-sp.jus.br/videos/pesquisas-eleitorais-devem-ser-registradas-e-enquetes-sobre-eleicoes-estao-proibidas-em-31-01-2014

Desde 1º de janeiro, o registro de pesquisa eleitoral para candidatos a presidente da República é obrigatório junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Já a realização de enquetes e sondagens relativas às eleições de 2014 está proibida, de acordo com resolução aprovada pelo Plenário do TSE em 17 de dezembro do ano passado.

Sobre enquetes: a posição do Doutor Hermes Dutra

Julio !

Acho que as enquetes só são proibidas durante a campanha eleitoral, como diz z resolução. O período de campanha eleitoral, segundo o TSE, começa em junho ou julho (acho que é junho). Logo, até lá, são permitidas.

Abrs e uma boa e abençoada Páscoa, prá ti e teus familiares. Que o bom Deus derrame bênçãos abundantes sobre vocês.

Hermes Dutra

sexta-feira, abril 18, 2014

Enquetes e sondagens

Perdi a conta de quantos e-mails e ligações telefônicas recebi questionando-me acerca da legalidade ou não da publicação de enquetes e sondagens eleitorais.

Sustento que as mesmas estão terminantemente proibidas desde o dia 1º de janeiro de 2014. Não existe outra interpretação! O artigo 25 da resolução nº 23.400 do TSE é taxativo: "Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação". Se diferente fosse, o artigo diria, em tese, essa resolução entra em vigor no período da campanha eleitoral. Mas não é isso. Senão vejamos:

 (...)
Art. 24. É vedada, no período de campanha eleitoral, a realização de enquetes
relacionadas ao processo eleitoral. 
Parágrafo único. Entende-se por enquete ou sondagem a pesquisa de opinião
pública que não obedeça às disposições legais e às determinações previstas
nesta resolução.
 Art. 25. Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação.


Tinha a decisão de não mais me manifestar sobre o assunto. Porém, na tarde dessa sexta-feira, devido a quantidade de pedidos de informações, decido tornar público a questão. 

A resolução 23.400 do TSE é muito clara e sugiro uma leitura esclarecedora. 


http://tre-se.jus.br/legislacao-e-jurisprudencia/resolucoes/normativas-do-tse/2013/resolucao-tse-23.400/visualiza

Minhas anotações de sexta-feira santa

A morte de Gabriel Garcia Marques, de certa forma, não surpreendeu. Era uma morte esperada; o escritor estava doente, sofria demais e a perda de memória deve ter sido horrível em seus últimos tempos. Estranha sensação de minha parte ao saber de sua morte. O corpo físico, se foi. Mas a obra gigante dele ficará para sempre. O cotidiano da América Latina ficará imortalizado nos eventos fantásticos e sobrenaturais. A melhor maneira, nessas alturas, de homenagear Gabo, é ler suas obras, prestigiar seus livros e refletir sobre suas metáforas. 

==

No Capão do Cipó, o Executivo envia projeto para o poder legislativo. Mecânicos serão investidos em novos cargos: motoristas. Imaginem se a moda pega.

==

E no Itacurubi, o Prefeito Grosso, do PT, reuniu-se com os professores e não permitiu a presença da direção do Sindicato da categoria. Isso que é petista. E nem estamos falando nas prerrogativas constitucionais dos sindicalistas. São exemplos assim que afundam a credibilidade do Partido.

==

Os guardas municipais de Santiago estão felizes da vida com o projeto que Ruivo enviou ao poder legislativo. Finalmente, fez-se justiça e reconhece-se o risco de vida.

==

Estou enfrentando um revés em minha saúde, razão pela qual estou um tanto afastado da blogosfera. Dias atrás, o médico oculista Azambuja, filho do saudoso Miguel Azambuja, descobriu que o grave problema de visão que me assolava estava relacionado com a glicose. Pateticamente, estava com índices superiores a 400. Um caos. Imediatamente, meu prezado amigo Beregaray atendeu-me, deu-me uma série de dicas e medicamentos pontuais. Estou em tratamento contínuo, embora o problema na visão ainda tenha sido revertido. Doenças fazem parte da vida, encaro tudo com muita naturalidade, especialmente pelos amigos e amigas e - em especial - por minha família.

quinta-feira, abril 17, 2014

A farsa do “jornalista dinamarquês” expõe a atual incapacidade de raciocínio do brasileiro e da imprensa em geral

Fonte - Site do YAHOO

É óbvio que você sabe da história do “jornalista dinamarquês” que resolveu ir embora do Brasil e deixar de cobrir a Copa do Mundo por se sentir chocado com a infinidade de problemas e injustiças sociais deste Brasil cada vez mais podre. A história deste sujeito e seu depoimento em texto foram reproduzidos por quase todos os portais de notícias e se disseminou pelas redes sociais com uma velocidade espantosa – aliás, como quase tudo que não presta nestes tempos. Sua foto rodou por todos os cantos da internet, todos os comentários foram todos solidários a ele...

Só que o tio Regis vai lhe contar uma coisinha: esta história é um farsa!

Sim. É isto mesmo o que você leu. Uma farsa. Cascata. Mentira. Outra lorota em tempos de internet.
Como cheguei a esta conclusão? Fácil. Fiz o que todo jornalista sério deveria fazer: fui atrás da história!

Fiz isto porque, logo de cara, senti um cheiro de trapaça no ar. Não sei explicar – chame isto de “sexto sentido”, se quiser -, mas meu instinto jornalístico sempre disse que um profissional do ramo nunca “abandona” uma boa história. E foi justamente isto que este pateta fez. Deixou para trás tudo o que ele disse que presenciou em Fortaleza – a remoção de pessoas paupérrimas para ‘maquiar’ a cidade, o assassinato de crianças de rua quando flagradas dormindo em locais tradicionalmente frequentados por turistas, o encerramento de atividades de uma série de projetos sociais em favelas e muito mais – e voltou para a sua civilizada Dinamarca. E sem fazer uma única matéria a respeito disto? Sem publicar nada, sem dar qualquer satisfação para seus patrões? O cara ouve relatos de uma espécie de “limpeza social” e não vai apurar isto?

Que raio de jornalista é este?

Foi então que descobri que não existe o “jornalista Mikkel Jensen”. Basta uma simples pesquisa na internet para verificar que o único dinamarquês com este nome é um ex-jogador de futebol que jogou por um time profissional daquele país, o Brøndby IF, e que terminou a sua carreira em 2011 jogando pelo IF Brommapojkarna. Não vejo problema em um jornalista usar algum pseudônimo a não ser a covardia de não dar a cara para bater em seu trabalho, mas porque alguém usaria este tipo de artifício para... não escrever nada? Em lugar algum. Não há qualquer artigo do ‘jornalista Mikkel Jensen’ em qualquer publicação física ou digital.

Descobri então que o nome verdadeiro deste cidadão é Mikkel Keldorf. O relato de seu desencanto com o Brasil foi publicado apenas em um único local: o site do diário dinamarquês Politken (se souber ler em dinamarquês, veja aqui). Procuro outras matérias com o seu verdadeiro nome e só encontro uma outra matéria, desta vez a respeito de uma ação policial na favela da Maré, no Rio de Janeiro (tente ler aqui). Mais nada. Nem no You Tube. Tudo o que você leu a respeito deste cidadão foi retirado do próprio perfil deste sujeito – veja aqui).

Entendeu onde quero chegar?

Armou-se um estardalhaço absurdo nos meios jornalísticos digitais e nas redes sociais baseado unicamente em um troço sem qualquer tipo de comprovação! Ninguém teve sequer a decência de conversar com este sujeito antes de sair publicando por aí um monte de coisas que até acredito que sejam verdadeiras – governos de qualquer partido têm uma reputação tão manchada de lama que não duvido destas atrocidades -, mas que precisam ser provadas! E provadas por um jornalista de verdade e não por um aparente zé-mané que plantou uma história mentirosa na qual todo mundo caiu como pato otário.

O jornalismo e a capacidade de raciocínio da Humanidade já estiveram em um estágio mais elevado. Hoje, é esta desgraça que vemos a todo instante. Putz...

quarta-feira, abril 16, 2014

Na segunda fase da OAB, LFG ou Renato Saraiva?

Posso assegurar que ambos os cursos são de ótima qualidade. Entretanto, como não sou de ficar em cima do muro, tenho minhas propensões pelo Complexo Educacional Renato Saraiva e justifico-me.

1 - Quem perde uma aula no LFG tá ferrado, não existe uma segunda chance e até chegar a gravação de um DVD de São Paulo, o bacharel já perdeu tempo importantíssimo.

2 - O sistema no LFG é mais suscetível de quedas em face dos temporais, chuvas e ventos que atingem-nos. Caiu o sistema, perdeu-se a aula. Nessa época, isso é frequente.

3 - No Renato Saraiva, por ser tudo pela internet, existem inúmeras vantagens. Pode-se assistir as aulas até 3 vezes e isso é um grande diferencial. Ademais, se está assistindo, perdeu um trechinho da aula, volta-se, repete-se e segue o baile. É claro que é preciso uma internet de boa qualidade e bem potente. Internet 3 G e de baixa potência, nem pensar.  Depois da meia noite, é muito melhor, o sistema fica descongestionado e rola muito bem.

Santiago de luto

Essa tragédia com o ônibus da saúde, que ceifou vidas de irmãos nossos, da mesma  comunidade, entristece-nos sobremaneira e abre reflexões supletivas acerca do destino da vida, e também do absurdo que se converteram nossas rodovias. 



As famílias enlutadas, nossos sentimentos. Que Deus conforte a todos. 

terça-feira, abril 15, 2014

Vereador Sandro Palma concorrerá a Deputado Estadual

Fui informado por uma fonte muito confiável que a decisão do Vereador PALMA e do PTB já está tomada. 

Sandro Palma concorre mesmo a deputado estadual.

A idéia é a mesma de sempre.

segunda-feira, abril 14, 2014

Sartori se reúne com PMDB de Santiago e região.


O pré-candidato do PMDB ao Governo do Estado José Ivo Sartori participa de atividade partidária em Santiago na próxima terça-feira, dia 15. O encontro, agendado para às 12h, no Clube Sete de Setembro, na Rua Tito Becon, 589,  tem como objetivo iniciar a organização da campanha de 2014 no Município e na região do Vale do Jaguari.

Antes da reunião, às 12h 15 min, Sartori concederá coletiva de imprensa, no mesmo local.

URI

Dentre as celebridades da URI que fizeram o recente concurso do IFET - Farroupilha, (semana passada) está a professora Ana Cristina Sapper Biermann, coordenadora do curso de Biologia da URI/Campus de Santiago. 

Quem também fez o referido concurso foi o talentoso Procurador da Universidade, Miguel Garaialdi, aliás, excelente professor de Direito Administrativo. 

Lembro-me do Professor Clóvis Brum, quando Diretor-Geral da Universidade, ele adorava quando descobria que os professores da Instituição estavam fazendo concurso no IFET.

domingo, abril 13, 2014

O sistema é invisível

Prezado Amigo Vulmar Leite:

Compreender dialeticamente uma situação colocada, às vezes, é bastante complexo, especialmente pela tradição mecanicista que permeia as relações em nosso meio.

É claro que eu tive relações de amizade e profissionais com o saudoso Chicão. Mais que isso: tive nele um grande amigo, um raro amigo. Lembro-me a primeira vez que Chicão pediu-me um serviço. Queria ele que eu justificasse o projeto Bola Pro Futuro. Com seus gestos simples, explicou-me que precisava mudar a linguagem do gabinete, e brincou: "nós precisamos de uma linguagem mais complexa, essa linguagem de esquerda que tu sabe fazer".

Justifiquei o Projeto. Ele adorou. Trabalhei a questão das classes sociais em Santiago, da integração dos esportes...por aí. Chicão gostou tanto que convidou-me para prestar uma assessoria contínua. 

Ora, Chicão tornou-se meu amigo, vinha na minha casa, pedia-me opiniões em certos assuntos, dava-me um espaço de atuação que nunca tive dentro de Santiago, nunca quis me coptar, sabia das minhas origens marxistas e nunca teve preconceito. Sofria muito para manter sua amizade e relação profissional comigo, mas ele me entendia, me valorizava e era uma pessoa justa e bondosa. 

Como Chicão não andava com as elites, era um revolucionário ao modo dele, nunca vi óbices em nossas relações.

O que o amigo Vulmar nunca notou são as contradições das pessoas. Chicão era essencialmente uma pessoa de esquerda, embora dentro de um partido de direita. Seu governo era voltado para os pobres, as elites odiavam as relações que ele estabelecia e odiavam a mim, da mesma forma. Ademais, ele assumia os compromissos e cumpria-os. Tenho certeza que, hoje, lá no céu ele está vendo o absurdo persecutório que fizeram com a Eliziane e comigo. Mas tudo bem, a vida é uma mão de duas vias, uma vai e outra vem. 

Ademais, tudo com Chicão era limpo, limpíssimo. Morreu pobre, nunca roubou um centavo de ninguém. Pelo contrário, quando recebia no final do mês, já devia tudo em cheques que ía espalhando, inclusive comprando medicamentos caros para pessoas com câncer, tudo na ânsia de ajudar. Chicão era totalmente despreendido. Não ligava para a matéria, vivia noutro mundo, não era desse mundo, tanto que se foi mais cedo. O Cosmo deve ter acolhido-o com graça. 

Sexta-feira, a tarde, conversei com a pessoa mais próxima a Chicão: Mara Rebelo. Mara é uma pessoa fantástica, uma amiga de grande valor. Fiquei feliz em recebê-la em meu escritório e mais feliz ainda em receber um afetuoso abraço da mais pura solidariedade e sensibilidade. 

É claro que eu tenho o maior orgulho dessas amizades e dessas relações. Lutei pela democracia no nosso país, justamente para poder ser amigo das pessoas sem necessidade de rótulos.

Por outro lado, eu sou amigo dos meus amigos. Nunca desprezei a amizade de ninguém. As pessoas que me procuram, que me ligam, que vêm na minha casa, sabem perfeitamente sobre meu estilo de vida: cultivo minhas amizades com carinho e dedicação. Apenas isso.

Contudo, nunca fui porta-voz de nada e de ninguém. O erro de Vulmar é atribuir a mim uma importância que eu não tenho. Não tenho mesmo. Afora não ter nada e não ser nada, só eu sei como estou vivendo e enfrentando as adversidades. As pessoas que mais me perseguem e fizeram de tudo para me destruir e destruir a Eliziane, humilhando-a a níveis inaceitáveis, são justamente essas pessoas Vulmar e outros tantos imaginam que eu tenho relações.

Não sou filiado a partido político algum, não quero me meter na oposição, longe disso, hoje vivo apenas para trabalhar e cuidar da Lizi, da Nina e dar alguma opinião. Apenas escrevo como forma de expressão de uma cidadania. Apenas isso, embora eu pense realmente que uma quebra de hegemonia dos setores conservadores e reacionários de Santiago passe, necessariamente, por uma aliança dos setores de esquerda com os setores dissidentes do sistema. Não acredito na força da oposição sozinha. 

O sistema é invisível, tem muita gente que usa o rótulo de oposição e é parte do sistema dominante de forma umbilical. Aqui em Santiago isso é bem nítido. Só que para ver isso, é necessário ter olhos que enxerguem além da mera visão aparente das coisas. O dia que compreenderem isso, pode ser que troquemos de governo. Apenas isso.

Dias atrás, o Jorge Bueno convidou-me para uma janta do PMDB na Chácara do Maci Ribeiro. Pensei até em ir, não pela janta, mas pelas amizades, pelos debates...depois, pensei, pensei, pensei e achei melhor não ir. E não fui justamente para não sofrer com os limites das nossas cabeças oposicionistas.