Páginas

sexta-feira, fevereiro 24, 2017

O diabo está solto e agindo livremente

Nós estamos lidando com forças diabólicas soltas e incentivadas. O absurdo que está acontecendo em nosso meio é também nossa responsabilidade. 

Drogas correndo soltas. Crianças e juventude mergulhadas na drogadição e prostituição. Mortes misteriosas, mortes de jovens ceifadas do nada ... carnaval é uma festa do diabo, é carne, é apologia a tudo que não presta ... será que está custando para as autoridades entenderem isto?

Imaginem de sexta para sábado e de sábado para domingo o que mais não vai acontecer?

Quantos acidentes com toda esta beberagem?

Quantas brigas e contendas, com o álcool fica tudo mais fácil?

Quantos estupros?

Quantas meninas e meninos vão perder a inocência atolados num crack ou numa cocaína?

O cheiro de maconha está no ar. 

Ontem, fui levar minha filhinha ali numas amiguinhas delas e fiquei chocado com uma cena. Uma moça, totalmente drogada, dentro de um carro, gritava que queria mais coca, me dá mais uma cheiradinha gritava para o homem que estava com ela.

É evidente que esta próxima foi estuprada, se é que foi só por um. 

A transmissão de HIV está totalmente fora de controle em nossa região. Não existe mais a menor precaução. 

Eu conversava, ontem, com uma autoridade médica, e ela me relatava que só no Capão do Cipó uma moça infectou 4 homens. Um deles se nega a fazer os testes e está definhando ... por preconceito. 

Fico imaginando o que será esta noite de sexta para sábado.

O carnaval fomenta estas pessoas sem referências éticas e morais. É uma válvula de escape institucional, legitimada pelo poder público ... já que todos vivem na miséria, sem esperança e sem sonhos, o carnaval se torna uma espécie de suicídio moral coletivo.

E aí rola de tudo: depravação, sexo sem controle, contaminação pelo sexo e pelo uso de seringas coletivas ... os mais pobres optam pela cachaça e cerveja, derivam-se daí brigas, acidentes de carro ... descontrole total.

O poder público municipal investe horrores neste espetáculo tétrico e trágico. Quanto não é gasto em bandas, estruturas, segurança, banheiros químicos, médicos e enfermeiros plantonistas ???

O ideal seria suspender para sempre esta festa blasfêmica. É claro que isso atrai a ira de Deus. Só não vê quem não quer que o diabo está solto em meio a todas estas manifestações;  ademais, o culto ao satanismo tem crescido assustadoramente em nossa região. O que eu estou sabendo é perplexo. 

Imaginei um avanço saudável dos evangélicos com seus valores éticos e pruridos morais. Mas, devido minha atuação como Advogado, nos últimos tempos, descobri um rede de atuação satânica quase inacreditável para os nossos padrões ... e envolve até canibalismo. 

Não estranhem: em pouco tempo estarão ocorrendo sacrifício de crianças para rituais de magia negra aqui dentro de Santiago. O avanço das forças diabólicas exige cada vez mais sacrifícios. Eu sei o que estou dizendo.

Capão do Cipo se tornou uma área de culto ao diabo em proporções que ninguém imagina. O satanismo corre solto. Rituais que ninguém imagina.

Este carnaval de Santiago é populismo puro. Manipulação de idiotas. Como dois líderes evangélicos, Cláudio e Tiago, proporcionam esta asneira? Quem agradar a quem? Depois falta dinheiro para saúde e educação. Eu vi o carnaval de rua de Santiago, muito forçado, tinham 2 mil pessoas, isso é menos de 4%, no máximo, da população de Santiago. 

Com todos estes avisos divinos, prelúdios de tragédias explícitos, como as autoridades não estão se ligando na vontade de Deus? O negócio é católicos e evangélicos orarem em suas Igrejas e tentarem contrapor a ação das forças do mal que campeiam soltas em Santiago. 

Ontem foi só o começo.

E Cláudio Cardoso, um Pastor, com poder, que disse que iria fazer a diferença, por que não impôs seu poder? Se ele trancasse o pé eu aposto que a sociedade o apoiaria e aí eu queria ver. Me parece que, mais uma vez, ele foi frouxo. Essa das bandas é velha ... Me admiro muito.

Se cuidem, orem, encham as igrejas, o diabo está solto. 

E depois vem as consequências. Essas guriazinhas de vila, grávidas, geralmente sem pai, enchendo os postos de saúde, com demandas que a sociedade precisa pagar. Depois não têm onde morar, vai lá o poder público providenciar uma casa pelo Minha Casa Minha Vida ... e quando os filhos pegam uma certa idade, viram marginais, vão roubar, usar drogas e matar os inocentes. Um que outro se salva, mas são exceções. Este ciclo destes pobres não tem saída. Exceto um avanço de ética moral e religiosa muito grande, num esforço conjugado de católicos e evangélicos. 

Enquanto não estancarmos este ralo, o abismo irá se aprofundando. 

Urgem reflexões. 


quinta-feira, fevereiro 23, 2017

Preso D.P. vulgo "Negro", que estava no Monza estacionado na frente da casa de Alacir Dessoe

Já passam da meia noite. Portanto, foi preso, ontem, na região entre Cacequi e São Vicente do Sul, o elemento D.P. conhecido como "negro", 27 anos, e que está envolvido num caso bem complicado.

Dia 14 de fevereiro, foi assassinado em Cacequi, José Edemilson. Eu tenho as fotos dele morto, são chocantes. Teve a língua cortada, pênis decepado, foi degolado e dedos da mão aparados. Quem quiser as fotos pode me pedir que eu envio pelo app, só não pretendo publicá-las. Apenas enviei-as a família que me contratou como Advogado.

O requinte e o barbarismo deste assassinato é chocante para os padrões de nossa região. 

A rigor, ainda não se sabe com grau de certeza se foi mesmo "negro" quem matou José Edenilson, embora tudo indique que sim. 

O que seria um crime a mais, gerou uma ilação ultra-complicada na medida em que este suposto assassino, "negro", após o crime, após o bárbaro assassinato de José Edenilson, pega o carro deste, um Monza, e dirige-se para a frente da casa do casal Alacir Dessoe e sua esposa, no interior do Capão do Cipó.

É evidente que não foi um fatalidade e ainda ontem a noite escrevi sobre isso.

O que este bárbaro assassino, agora preso, queria na frente da casa do casal assassinado no Capão do Cipó?

O blog adiantou com detalhes sua descrição física, quando ninguém ainda sabia de quem se tratava.

O blog também adiantou que registros das câmeras de vigilâncias, no Capão do Cipó, o identificaram, inclusive portando uma mochila, o que indica que ele carregava algo, possivelmente apanhado na região do crime ou nas proximidades onde botaram fogo na casa do assassino confesso de Alacir Dessoe e sua esposa. 

A polícia de Santiago ajudou na prisão. 


José Edenilson, degolado, língua e pênis cortado
Agora, afora o assassinato de José Edenilson, conhecido como Tio Bilia, será possível esclarecer o que ele (negro) queria no local do assassinato de Alacir Dessoe e nas imediações da casa incendiada, onde morava o assassino confesso deste, preso no presídio local.

Todos os desdobramentos destes casos são surpreendentes. 

O que leva um assassino degolar a pessoa e depois cortar-lhe a língua e o pênis?

A primeira leitura, existem outros aspectos subjetivos envoltos. 

O requinte e a sofisticação do assassinato revelam algo mais que a simples intenção de matar. Isto é evidente. 

Agora: a pergunta que não quer calar?


Monza de José Edenilson, após o crime "negro" foi para a frente da casa de Alacir
Por que "negro" veio justamente para a frente da casa de Alacir e ali deixou o monza da vítima assassinada em Cacequi? E mais: "negro" ficou dias escondido no Capão do Cipó. Onde? Com quem manteve contato? Ele tinha celular? Quem eram seus contatos e por que ele precisou ir justamente para a frente da casa de Alacir Dessoe? Foi mera coincidência? 

Por que o assassinato de Tio Bilia, em Cacequi, coincide com o incêndio na casa do assassino confesso de Alacir, em Capão do Cipó? Foi mera coincidência?

"Negro" teria algum serviço a mais no Capão do Cipó?

"Negro" carregava algo na mochila que carregava e foi identificado pelas câmeras de vigilância? 

Estas questões estão em aberto. 

Uma pessoa super-ultra bem informada me disse, ontem, por telefone, que se não fosse a ação deste Advogado outras pessoas já teriam sido mortas no Capão do Cipó; isto me leva a formular algumas hipóteses:

1 - Alguém queria os serviços de "negro" no Capão do Cipó e manteve contato com ele e ele, atendendo ao apelo, dirigiu-se ao local. (O que deu errado foi que uma fonte de nossa equipe estava no local e viu-o antes da polícia e antes de qualquer contato). Todos sabem que o blog deu as descrições de "negro", que estava no Monza e foi criado o alerta geral. As pessoas cipoenses ameaçadas da morte, redobraram os cuidados. 

1.1 - Pelo requinte que ele assassinou José Edenilson, o Tio Bilia, é fácil supor que se trata de um assassino profissional. 

O certo nesse imbróglio todo é que "negro" mata José Edenilson e se dirige ao Capão do Cipó, para o suspeitíssimo lugar: a frente da casa onde dias atrás tinham assassinado Alacir Dessoe e sua esposa. Mas que mistério é este? Tudo será mera coincidência?

Eu vou citar, depois do carnaval, 4 nomes de pessoas ameaçadas de morte no Capão do Cipó. 

Na minha opinião, a falha no cabo dos freios da camionete que levou a uma pessoa da comunidade a um acidente de proporção, não é mero acaso. Ela sabe disso, nosso escritório sabe disso e a associação nacional dos detetives (não preciso citar o nome do Coronel Itacir Flores), estão todos com a mesma opinião. 

O deslinde está apenas começando. 






quarta-feira, fevereiro 22, 2017

Da minha felicidade e minha filha




Deus tem me proporcionado os mais belos momentos da minha vida. Certamente, inesquecíveis. Não existe amor mais lindo, mais puro e mais sublime que o amor de um pai com um filho e vice-versa. Eu sou pai de uma filha e a cada momento experimento isso. 

Nessa noite, após o banho, creme no cabelo, secador, Nina pediu-me sua mamadeira. Fui para o micro-ondas e alcancei-a. 

Ela pediu-me para eu deitar ao seu lado. Aí, colocou a cabecinha sobre meu peito, começou a mamar e agradeceu de uma forma muito muito muito diferente: obrigada paizinho. Mamando, adormeceu ... um sono sereno, profundo, calmo, doce, era o paraíso. 

Expliquei tudo a amiga e médica-psiquiatra, Dra. Karine Peixoto, e ela relatou-me aspectos da simbologia de dormir sobre o peito do pai. Isso dá tranquilidade à criança, paz e sossego. 

Hoje, quando acordou, Nina ficou brincando com suas casinhas, com suas bonecas. Depois do mamá diurno, pediu-me para levá-la ao restaurante. Ela, como sempre, escolhe onde quer comer. 

Assim fizemos.

Depois do almoço, me disse que tínhamos que fazer compras. Só não me revelou um segredo. As tais compras, eram na verdade, apenas erva mate e kinder-ovo. 

Minha irmã deu-lhe uma mini-cuia e uma bomba. Ela comprou erva-mate Santiago. 

Chegou em casa, tive que esquentar a água e - pela primeira vez em minha vida - tive que preparar um chimarrão. Que lambuzeira, que sujeirama, era erva derramada pela casa, mas, enfim, fiz meu papel de pai, fiz o mate que minha queria e tomei um chimarrão para agradar-lhe. Ela adora comprar no Guasso, conversa com a meninas, todos já a conhecem.

A tarde, pediu-me um pastelão da Padaria Glacial com café e leite. 

Lá chegando, fico surpreso. A dona do estabelecimento vai até ela e pergunta sobre os quadros pintados; Nina responde com elegância, ganha os pastéis pela simples presença no estabelecimento. Sem querer, ela acaba me dando lucro, se bem que a cortesia sempre foi o ponto alto dos proprietários da Padaria Glacial.

Agora a tarde, recebo gente de vários lugares, e Nina me pede para ir para a casa de minha irmã.

Pegou sua bonecas, suas caixinhas de papelões e foi-se para os tios. 

Voltei para lidar com o processo eletrônico no meio desse tempo louco ... a casa vazia, o escritório, sem a presença de Nina, fica um vazio, um vácuo ... mas, enfim, estou muitíssimo feliz, raramente feliz. Deus atendeu todas as minhas orações. 

Não sei nada sobre o amanhã. Mas Deus, o poder judiciário, na pessoa da Juíza Magali Ruperti Rabello Justin e, principalmente, do Ministério Público, na pessoa da jovem Promotora Michele Taís Dumke Kufner, deram-me a maior felicidade de minha vida neste mundo: o direito de conviver com minha filha, de vê-la crescer, de ajudar educá-la e de prepará-la para o mundo e para a vida. 

Eu logo passarei, mas as sementes de amor e carinhos paternos, serão eternos enquanto Nina viver seus dias na face da Terra. Um dia ela vai se casar, ter seu lar, ser mãe ... certamente se lembrará do amor de seu pai. Ela sabe que somos frutos do amor e que tudo é amor.

Também, em meio a esta hecatombe familiar que vivi, que quase me matou, pude ver o peso das minhas amizades, pessoas boas, sinceras, amigas, leais, pessoas que sempre fecharam comigo, nunca me abandonaram, sempre estiveram comigo, mesmo na pior dor. Impossível citar todos meus amigos. Mas o mundo, para mim, se tornou mais colorido, mais lindo, mais divino. 

Minha família, minhas irmãs, meus cunhados, todos foram divinamente impecáveis. 

Veio o caos, mas a estrela cintilante triunfou. 

As transformações são tão mágicas, tão divinas e tão encantadoras. 

Sou um homem raro, um raro homem completamente feliz com a vida e em paz com o cosmos.
 

Prelúdios

Os acontecimentos da natureza sobre Santiago são prelúdios da voz de Deus. Gostem ou não, existe algo errado no ar. A gente sente na atmosfera. E essa sucessão de desgraças?

Deus não quer essa orgia patrocinada com dinheiro público, que poderia muito bem comprar o leite de uma criança, o remédio de um doente, um pão para abrandar a fome de algum asilado. 

Sábado, enquanto eu fui no mercado comprar as comidinhas que minha filha gosta, feijão em pacotinho, carne, pão, pizza, nescau ... via nos caixas a preocupação dos casais. Em quase todos os ranchos, volumosos estoques de cervejas ... alguns até cachaça. É sinal de que a beberagem vai correr solta, aí vem brigas, desavenças, traições, patifarias.

Isto tudo desagrada aos olhos de Deus.

Eu temo que este carnaval seja marcado por alguma desgraça. São tantos avisos e recados, nós é que não estamos sabendo interpretar.

Deus pode cobrar do prefeito e vice, dois evangélicos, estarem, proporcionando esta orgia. Carnaval, em tempos de crack e cocaína é uma festa espúria, é jogo pesado, é confronto, é pauleira, ninguém está em busca de diversão, pela razão de ser da própria diversão em si.

A sociedade está perdida. As famílias desintegradas, pouca importância estão dando aos filhos ... existe uma busca desenfreada pelo prazer, o prazer pelo prazer ... aí eu começo a me preocupar.

Será que não estamos atraindo todas estas desgraças? 

E esta onda de banalização da vida, mortes estúpidas, é certo que mortes vão ocorrer, seja nas brigas, nas estradas, com as bebedeiras ... 

Sei lá, quem deveria falar sobre isto eram os Pastores e Padres. Mas a verdade é que eu sinto que tem algo de errado no ar. Tomara que seja só uma precaução sensitiva falha minha. 

E oremos. Rezemos. 

Os prelúdios estão acontecendo embaixo de nossos narizes, só não vê quem não quer. Este carnaval já deveria ter sido suspenso. E as Igrejas deveriam estar cheias. 

A revista Isto É publicou uma excelente entrevista com Roberto Shinyashiki, médico psiquiatra, com Pós-Graduação em administração de empresas pela USP, consultor organizacional e conferencista de renome nacional e internacional.

Uma das perguntas desta entrevista, e a respectiva resposta, você verá a seguir. Medite sobre ela.

ISTO É – Muitas pessoas têm buscado sonhos  que não são seus, isso é verdade?

 
Shinyashiki
- A sociedade quer definir o que é certo. São quatro loucuras da sociedade:
 
A primeira, é  instituir que todos têm de ter sucesso, como se ele não tivesse significados  individuais.

A segunda loucura é: Você tem de estar feliz todos os  dias.
         
A terceira é: Você tem que comprar tudo o que puder. O resultado é esse consumismo absurdo.

Por fim, a quarta loucura: Você tem de fazer as coisas do jeito certo. Jeito certo não existe. Não há um caminho único para se fazer as coisas.

As metas são interessantes para o sucesso, mas não para a felicidade.

Felicidade não é uma meta, mas um estado de espírito.

Tem gente que diz que não será feliz enquanto não casar, enquanto outros se dizem infelizes justamente por causa do casamento.

Você pode ser feliz tomando sorvete, ficando em casa
com a família ou amigos verdadeiros, levando os filhos para brincar ou indo a praia ou ao cinema.

Quando era recém-formado em São Paulo, trabalhei em um hospital de pacientes terminais.

Todos os dias morriam nove ou dez pacientes. Eu sempre procurei conversar com eles na hora da morte. 

A maior parte pega o médico  pela camisa e diz:
"Doutor, não me deixe morrer. Eu me sacrifiquei a vida inteira, agora eu quero aproveitá-la e ser feliz". 

Eu sentia uma  dor enorme  por não poder fazer nada. Ali eu aprendi que a felicidade  é feita de coisas pequenas. 

Ninguém na hora da morte diz se arrepender por não ter aplicado o dinheiro em imóveis ou ações, ou por não ter comprado isto ou aquilo, mas sim de ter esperado muito tempo ou perdido várias oportunidades para aproveitar a  vida.

Todos, na hora da morte....
 ”dizem se arrepender de ter esperado muito tempo ou perdido várias oportunidades para aproveitar a vida.”...

....”aprendi que a felicidade é feita de coisas pequenas”....

Pense.... medite....

Alguma coisa parece semelhante em tua vida?
 

Vida de criança

Nina acorda todos dias perto das 10 horas. Me pede mamá e vai brincar com suas bonecas. Depois, almoço. Ontem, o temporal forçou-nos a almoçar em casa...pedi tudo pronto, é verdade. A tarde, Nina adora passar horas na recreação Carinho de Mãe. Perto das 19 horas pego-a e levo-a para um delicioso sorvete e depois ela se junta com duas amiguinhas aqui da nossa rua. Nossa rua, por ser no fundo do QG, é a mais segura de Santiago, é tudo muito seguro e no largo da Estação do Conhecimento tem vigilante toda a noite. Policiamento militar, câmeras por todos os lados. Então, todos se sentem muito a vontade, correm, brincam, andam de bicicleta ... quando chega em casa, ainda adora curtir Lary Bag nos computadores.



terça-feira, fevereiro 21, 2017

Onde está o assassino de José Edenilson - o crime do Monza

Dias atrás, houve um assassinato em Cacequi. Mataram José Edenilson, jogaram seu corpo numa sarjeta. O assassino pegou o carro da vítima e dirigiu-se até o Capão do Cipó e foi para frente da casa de Alacir Dessoe, assassinado recentemente.

O caso está envolto de um silêncio, embora todos já saibam as descrições do assassino.

Curiosamente, o mesmo foi visto dentro do município, caminhando pelas ruas, com uma mochila, se dirigindo a escola Biasi.

Foi identificado pelas câmeras, por alguém que o viu e o reconheceu. 

É claro, ele pegou algo. Apanhou algo. Carregava na mochila.

Patético tudo isso. 

Atrás disso, está o corpo de José Edenilson, que foi desovado numa sarjeta em Cacequi, um assassinato sem esclarecimentos e a sociedade atônita e sem respostas. 

Afinal: o que leva um assassino de Cacequi, matar uma pessoa, pegar o carro da vítima e dirigir-se para a frente da casa de um líder político, assassinado poucos dias atrás, no município de Capão do Cipó? 

Isto já passou dos limites. 

As autoridades estaduais de segurança pública, alô deputado Bianchini, da comissão de direitos humanos da Assembléia Legislativa, precisam, pelo menos justificar sua razão de ser e  darem explicações razoáveis para a sociedade.

São crimes contra os direitos humanos, ilações fortes demais, e tudo ficando impune, crimes caindo no esquecimento.

Mas, afinal, onde está o assassino do monza e o que ele queria no Capão do Cipó? Onde ele está? 
O que ele queria e o que ele foi fazer na frente da casa de Alacir Dessoe?

Que relação ele tem com o crime?

Por que, no Capão do Cipó, botaram fogo na casa do assassino confesso?

Quem botou fogo na casa e por quê? 

Por que teve gente cancelando assinaturas de celulares quando abriram-se as investigações? 


Carnaval

Eu acho uma temeridade muito grande o município de Santiago empreender o carnaval deste ano, a céu aberto, no largo da viação férrea. O clima está imprevisível e existem - sim - previsões dessas chuvas loucas e até previsão de granizo e ventanias.

Mais seguro e mais confiável, até para não correr risco, com sistemas elétricos, na chuva e embaixo de água, seria transferir o carnaval para o ginasião, ambiente fechado. 

Capão do Cipó

Este problema de as pessoas do interior não poderem portar armas, nem para defesa pessoal, nem de sua propriedade, está virando um caso sério.

O senhor Vilmar Cassol, que comprou a fazenda dos Sartori(s) recebeu um recado, dizendo que seria morto que nem o Alacir Dessoe. O caso é assustador. De um lado, não existe policiamento, numa região altamente conturbada. De outro, a bandidagem atua solta e as pessoas de bem, acuadas. 

---

MUDANDO DE ASSUNTO

Estou com uma bomba nas mãos. E vem do Capão do Cipó.

Santiagonet e o parlamento municipal

SANTIAGONET - Com todo aquele temporal de ontem, com tudo, a minha internet ficou intacta e se sempre de excelente qualidade. Não existe melhor opção de internet de excelente qualidade, em nossa região, fora da SANTIAGONET. 

SESSÕES DA CÂMARA DE VEREADORES - Hoje pela manhã, a companheira Alessandra perguntou-me se eu ouvi a sessão da câmara de ontem. Primeiro, eu que sou um jornalista, homem de imprensa, sequer sei que emissora transmite as sessões do poder legislativo. Nunca recebi um release ou algo parecido. Por fim, arrisco uma opinião, sem medo de errar. Tomando em termos absolutos 50 mil habitantes. Duvido que 1% (um) da população de Santiago, ou seja, 500 pessoas, escutem o programa que transmite a sessão da câmara de vereadores. É dinheiro público queimado a toa. Embora, eu tenha plena convicção que os releases no jornal Expresso Ilustrado rendem muitíssimo mais em termos de atingir o público leitor de Santiago. Sequer sei quem é o presidente atual da câmara.

O parlamento municipal é um mundo a parte. Eles gravitam em torno dos umbigos deles, é um mundinho fechado. Só os vereadores não se tocaram disso. E olha que vem de tempo essa porcaria toda. 

É claro, pessoas como o Rafael e o Peru que trabalham com publicidade própria nas redes sociais até quebram um pouco esta inércia, esta letargia caótica que cerca e enreda o parlamento municipal. É claro, ninguém usa melhor as redes sociais que o Rafael. 

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Um dia em Santiago, de sol a chuva, de chuva ao sol, de sol a chuva ... chuva nada ... temporal

Ausente do blog. Trabalho demais e a presença de minha filhinha requer sempre minha atenção.

Graças ao bondoso Deus, o Pai, nossa vida está divinamente maravilhosa em Santiago, é claro, com alguns contratempos. Trapalhadas na verdade. Ontem, ao chegar em Santiago, depois de apanhar minha filha, deixei-a na casa de minha amada irmã, Loreti, e vim em casa pegar os presentes da Nina e trocar de carro. Ao trocar de carro, carreguei tudo num e esqueço-me, tranco a porta e ele se fecha eletronicamente, com as chaves do próprio carro (e da casa) dentro. Fiquei com as chaves do outro carro nas mãos. 

Chamei o Valderez, o chaveiro mais popular de Santiago. Coitado, em pleno sol do meio dia, levou uma hora e dez minutos para conseguir alterar o sistema, foi um parto.

Mas isso acontece. 

Nina está feliz, radiante e ontem, brincou até uma hora da manhã. Ela tem duas amiguinhas, gêmeas, aqui na minha rua e elas adoraram brincar juntas. O largo da viação férrea é convidativo. Nina sai com sua bike e todo mundo já a conhece, vai fazendo amizades, conquistando corações e mentes.

Foi até a Igreja Católica com minha irmã, desfrutou do amor e da atenção dos padres Guilherme e Irineu (não tenho certeza, me parece que são estes os nomes), ela amou ... conversou bastante, contou sobre suas casas, sua história de vida e ela ama conversar. Os padres, sabidamente pessoas amáveis, deram-lhe toda a atenção do mundo, pelo que fico imensamente grato e torno público meu reconhecimento. A Nina tem uma veia fortemente religiosa e o tio dela toca órgão, agora está realizada. Ademais, adora passar horas na Casa dos Brinquedos, Recreação Carinho de Mãe ... brinca e se diverte, enquanto o temporal não nos poupa para curtir as piscinas. 

Eu também estou feliz. Sábado trabalhei a tarde inteira, uma ação trabalhista de São Francisco de Assis. Domingo, ontem à noite, tive o prazer de lidar com uma causa de Rodeio Bonito ... é sempre um prazer, em pleno domingo, poder trabalhar e exercer lealmente à advocacia com honra e dignidade. 

Hoje pela manhã senti um enorme prazer ao comprar todo o material escolar de minha filhinha. Comprei tudo o que ela queria, deixei ela escolher o que melhor lhe interessasse. Foi bom, divino e maravilhoso. 

Depois, Nina escolheu um restaurante para o almoço. Detalhe: ela própria escolheu. Levei-a no restaurante; depois, veio para casa, ficou assistindo filmezinhos da Lary Bag e, ante a iminência do temporal, foi brincar na Recreação Carinho de Mãe. 

A noite, janta com minha irmã e meu cunhado. Eu estou esperando uma turma de Rodeio Bonito, que eu marquei para as 20 horas, em meu escritório. 

Estou bem e desejo a todos os meus amigos, amigas, leitores e leitoras, muita paz nos corações, harmonia e tranquilidade, enquanto estendo meu abraço particular, meu afeto, aos meus amigos leais, sinceros e de todas as horas, pessoas raras que estão ao meu lado.

 

domingo, fevereiro 19, 2017

Nina em Santiago, passando a semana com o papito

Peguei a Nina cedo em Maçambará. Ela quis almoçar na casa da tia Loreti; deixei-a com minha irmã e vim em casa trocar de carro e carregar seus brinquedos. Bonecas, shampoos, presentinhos ... a tia dela também tinha comprado uma escova infantil e preparado umas caminhas cestinhas para as bonecas.


Nina ficou feliz da vida. Ganhou 4 bonecas de uma só vez e um montão de outros presentes, mais chinelos e saída de piscina. Depois do almoço veio conhecer o computador novo do papito, e a impressora que ela adora mexer...aja cartucho.

 Na sala da casa da Tia Loreti e do Tio Agenor, tios legítimos. Foi um belo almoço. Nina adora conviver com os tios. Mandou mensagem de voz para meio mundo...mas o Ruy é o mimoso dela, não adianta ....


Feliz com seus presentes.

No escritório Prates, ela adorou as novas poltronas. "Que tri papito". Agora, esperamos baixar o sol, depois Piscina da AABB.

sábado, fevereiro 18, 2017

Os primeiros traços de Nina e cenas de nossas vidas

Estas são as primeiras palavras escritas pela Nina. A frase é sem correção. Direto. Criação dela. Sou Lary Bag, sempre a melhor, contra o inimigo eu vou lutar". Detalhe: a Nina não escreve EU, ela escreve EL. 

Não escreve SOU, é SOL. É claro que ela troca o U pelo L. E ainda não sabe criar o "lh" e nem o dobrar o t de contra. 

Mas, enfim, ela está aprendendo. Esse ano começa o primeiro ano do ensino fundamental. No meu tempo era primeiro ano primário. Está com 6 anos.

No tempo que tenho com ela, ensino-a a tabuada, comprei uma para ela e as letras. Ela tá bem, tá aprendendo. Sabe ler empilhando as palavras e escreve com dificuldades, mas é bem apreciável seu texto e seu esforço. 

Nina me pediu uma boneca para brincar aqui em Santiago. Daí comprei-lhe essas 4. Creio que ela vai vibrar feliz.



É claro, filha mulher é diferente. Também comprei-lhe escova de dente, pasta de dente infantil, sabonete da FROZEN e até um alisador de cabelos da Barbie.

Um secador para ela não sair mais com os cabelos molhados.

Este é o cantinho de brinquedos dela.

Shampoo e condicionador da Barbie ... tudo esperando-a.


Ninguém chega perto de mim sem ser filmado, sistema de proteção 24 horas. É bom os bandidos irem sabendo. E também instalei câmeras dianteiras e traseiras no meu carro.

Este é o birot de estudos da Nina

 E esta é minha sala de trabalho. Onde passo boa parte do meu tempo.

Este Tiago Gorski é um gênio

Me sinto  bem a vontade para falar francamente. Não dependo da prefeitura, não tenho negócios com a prefeitura, nem quero ter, e nunca ganhei tanto dinheiro na minha atividade privada de parecista jurídico e advogado como agora. Apenas digo isso para demonstrar que minha análise é isenta, totalmente isenta. Se tiver que meter o pau no PP eu meto e não peço licença a ninguém, atingi um estágio de absoluta autonomia, por isso, sou livre para escrever. 

E parabenizo também o gênio dessa administração, que sabe vender bem o peixe, o Márcio Brasil. Esse é fera, esse é demais. Eu sempre torci pelo Márcio porque sempre acreditei no potencial dele. É o melhor quadro do município.

Estou completamente surpreso com a postura do prefeito Tiago Gorski. Ele tá dando um show. Essa de hoje, das mudinhas de flores que combatem o mosquito da dengue foi um lance genial. E ele estava lá e as pessoas vibravam felizes com ele. Fez uma mobilização de massas em cima de uma idéia simples. Pequenas idéias, grandes políticas.

Ademais, Tiago não pára, tem um pique incrível. Dizer o quê? A verdade. Ele ta sendo um excelente prefeito.

E eu me sinto a vontade para dizer isso. Só falta ele tirar aquela pena ali da Barão do Ladário, no meio da calçada. 

To gostando muito do desempenho do Tiago. Surpreendente. E sei que ele tem potencial e fará mais e melhor por Santiago. 

E o Cláudio tem ajudado muito, tem sido um bom vice, não tem briga, é uma equipe afinada. 

Tô satisfeito. 

Deus no comando de nossas vidas, salve a beleza de nossas amizades e o amor que nos une

Esta é minha querida amiga, Dra. Rosa Maria Mallet, médica, mãe da minha colega Advogada Josiane Mallet Balbé, Mestra em Direito e filha do jurista João Caetano Balbé. 

Como elas passaram as férias inteiras no nordeste, a Dra. Rosa adorava passear pelo Recife nessa limusine ... provocadora né???

Mas ela é um anjo. Hoje me levou as lágrimas, pegou meu ponto fraco e disse que a Nina também é dela. Como a Nina se dá com todo mundo e é bem sociável, não tenho a menor dúvida que os vínculos de afeto estão formados.

Notei que estamos muito além de meros vínculos profissionais jurídicos. Eu ainda era noivo da Dra. Karine Peixoto quando a Dra. Josiane Mallet estabeleceu os vínculos de uma parceria jurídica. E fomos indo e hoje está tudo concretizado. 

Mas o que me chama a atenção é o envolvimento familiar profundo. São pessoas amáveis, a gente se trata como se fosse um da casa do outro. Sexta-feira, conversei longamente com o Dr.Caetano Balbé, convidou-me para um churrasco, uma pessoa finíssima, livre de preconceitos, estamos tratando tudo em nível jurídico com muita seriedade. Já a Dra. Rosa Mallet, meu Deus, é um doce de pessoa, uma mulher finíssima, rica, poderosa, oriunda do curso de medicina da Universidade Federal de Santa Maria, numa época em que só os raros passavam no vestibular de medicina. 

Como ela se encantou com a Nina, já nos convidou para irmos para sua casa. Gentil, manda motorista e tudo ... Ficou feliz com um livro que a presenteei: Gourmets do Bem, e prestou-me uma homenagem no meu face agradecendo a lembrança.  Ela me encanta, pois eu acho fantástico como existem pessoas amáveis nessa terra, elas são demais. 

Em meio a tudo isso, agradeço a Deus, aos meus amigos, amigas, pessoas que gravitam ao nosso redor, gente do melhor quilate, de expressão, humanismo, carinho e afeto. Pessoas finas, educadas e corteses fazem a vida mais doce e melhor.

A vida vai seguindo seu curso normal. Deus sabe o que faz, tem seus segredos e seus mistérios. Eu mesmo nunca tinha vivido uma maré tão boa, uma fartura fabulosa, amor, carinho das pessoas, saúde, conosco não existe crise, tá tudo tão fácil que chega a assustar. Mas eu sei que é Deus operando e repondo tudo no seu devido lugar. 

Ainda hoje, ao telefone, o Dr. Ruy Gessinger dizia que estava tão feliz conosco. Eu entendo meu querido amigo, é Deus, eu sempre soube que as provações viriam e que após elas haveria a bonança divina. 

Eu sei quem está do meu lado. Eu sei quem são os nossos, e eu sei que essa união é divina e inquebrantável. 

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

Um negócio no Capão do Cipó, um negócio da China

Tive conhecimento de um caso jurídico - para mim - inédito. Tudo envolve o Capão do Cipó. Uma senhora, que não sabia o que estava fazendo, não conhece dinheiro, não sabe diferenciar uma nota de 5 reais para uma de cem, vendeu alguns hectares a preço totalmente vil, sem noção do que estava fazendo.

Os vários hectares que foram vendidos nessa estranha situação, formam lotes e muitos estão a venda, outros foram vendidos, enquanto a senhora que não sabia o que fazia, hoje vive de cesta básica, morando de favor numa casa. 

O processo está correndo na comarca de Santiago e existe grande possibilidade de todos os negócios serem anulados, voltando os terrenos a antiga proprietária, com a nomeação de curador e abertura de inventário entre os herdeiros. 

É um processo complexo, mas muito bem feito, bem didático, certamente será alvo de grandes controvérsias, especialmente entre os compradores de boa-fé, essas pessoas que compraram de terceiros. 

O processo é público, não está em sigilo de justiça e ao longo da semana que vem darei mais detalhes.  

Agora tudo é da China. Já tínhamos o agrotóxico vindo do Uruguai, via Rivera, Cacequi, Capão do Cipó. O componente químico desses vem da China. É industrializado e embalado no país vizinho. Bota coisa boa, mata tudo que é inseto e chega até a encher as cabeças de tumores e cânceres.
 

Jornalismo na casa incendiada no Capão do Cipó



Passei a tarde de ontem no Capão do Cipó. Fui até o local onde residia o assassino confesso de Alacir Dessoe e sua esposa, conversei com pessoas, fui atrás de um barbeiro local, analisei tudo por vários ângulos. Na verdade, soube quem botou fogo na casa e descobri coisas intrigantes demais. Demais, demais. 

Os cabalistas sabem ler o que não está dito e entendem de gestos e sinais. Não preciso dizer mais nada sobre os motivos que me levaram ao local. 

Sou um jornalista, é claro, é óbvio, todos sabem disso. Sou um curioso. Existem fatos que revelam mais do que se apresenta. Gosto de buscar o outro lado das coisas. Quis ver tudo in loco

Estou escrevendo uma longa matéria jornalística sobre tudo. 

"Já ouviu falar no Paulo Gerson"?

Terça-feira pela manhã. Acordei cedo. Tinha uma audiência. Eu e minha colega, Advogada Josiane Balbé Mallet. Poderosa, impressiona qualquer homem. Uma poderosa camionetona contrastava com o "luxo"do meu escritório. Mas Josiane é uma mulher sábia, inteligentíssima. É Mestrada em Direito, lecionou um tempo na URI de Santo Ângelo e agora estamos numa parceria bem interessante. Ela me encheu de recomendações: "não te assusta Dr. Prates que eu sou polêmica...". (me lembrei do João Lemes)

Mas minha colega é querida, amável, carrega aquela simpatia missioneira. Senti isso quando ela me botou no telefone conversar com o pai dela, aliás, gentil da mesma forma, convidou-me para um churrasco em sua fazenda e recomendações para eu levar a Nina. 


Josiane Mallet Balbé, advogada e Mestra em Direito
O pai dela é Advogado e a mãe Médica. 

Enfim, estávamos em nossa primeira audiência de parceria. 

Como sempre, avesso a polêmicas, sou um anjo, assistia tudo calado, apenas lendo a tela do note-book. 

A juíza, muito querida, simpática, amável. Italianíssima. 

A Médica Rosa Mallet e minha colega Josiane Mallet, as descendentes vivas do Marechal Mallet, patrono da Artilharia 
Bate boca daqui, bate boca dali, consenso, dinheiro fácil,  só gente rica na roda ... um senhor ignora todo mundo e dirige a palavra a mim. Certamente, ele notou que eu não era polêmico.

O advogado do médico era o pai da Miss Brasil Renata Fann, hoje apresentadora da Band. Ele foi se exibindo ... mas a juíza disse que não a conhecia.

Aí o médico perguntou-me que família eu era. 

Imagina ... sou filho do gueto, sou pobre, não tenho família famosa ... 

Mas ele insiste em falar comigo. 

Já ouviu falar no Paulo Gerson Lopes Peixoto?   

Fiquei um pouco sem jeito. Mas disse que o conhecia, que era uma pessoa muito querida (só não falei que ele não vai com a minha cara) ... e disse que conhecia mais a filha dele, que era médica ... essa eu conhecia bem, conheço bem. É uma grande amiga minha.

Aí o senhor que se dirigia a mim me conta que também é médico. Foi colega do Dr. Paulo Gerson e contou-me aspectos de suas aventuras jovens em Porto Alegre. 

Eu falava com o médico João Aroldo Schimit, apropecuarista, cabanheiro, parece até que tem terras aqui em Tupamtuba. 

Quando eu falei em médica-psiquiatra e Júlio Prates todas as antenas se ligaram ... o médico não percebeu ... 

Médica Karine Peixoto, arte de seu filho. Foto: minha
Ontem eu contava a história para a Dra. Karine. Ela me disse que o pai dela adora reviver estas histórias. 

Eu disse então:

Teu pai era carismático?

Karine: - era.  

Aí eu me vingo. Acho que ainda é.  

Karine: - também acho

Karine: - deve ter se apaixonado das histórias deles? 

E mudamos de assunto. 

Tinha que ser logo comigo. Eu me segurei para fingir elegância. O médico Schimit saiu com uma boa impressão de mim, imagino. 

Eu não sou polêmico. Polêmica é minha colega. Passei por santo.  



Sobre o demônio num corpo de mulher.


Esta moça de blusa azul, ao lado da mami, tatuada com o nome Eduardo (seu filhinho) é a Nastaja. Na foto abaixo, ela está em Punta, com seu então namorado, o Jesus Luz, o mesmo que namorava a cantora norte-americana Madonna. 

Tempos atrás, eu recebi um convite no meu face e me dizia: "me aceita aí eu sou a Nastaja, filha da ..."

Não conseguia me lembrar. 

Dias depois, vasculhei o face e relembrei-me de tudo. A conheci criança, era um anjinho, um doce de criança, meiga, calma, totalmente agarrada comigo. Fazíamos fogo na lareira da casa delas, eu contava-lhe histórias (de lobisomens ... dessas que eu sei inventar). Ela era meu docinho. É de uma família altamente distinta, gente honrada, digna e eu me orgulhava muito de usufruir a amizade delas.

Passaram-se 20 anos. E ela surgiu. Não era mais a menininha. Agora tava uma moça. Fiquei imaginando a Nina daqui 20 anos. É certo que não vou vê-la, mas ela será linda como a Nastaja. 
 
O facebook tem o dom mágico de aproximar e reaproximar as pessoas.

...

Com o tempo, passei a conversar com a Nastaja, pelo face. Ela ficou sabendo da minha história, adorou a Nina e - de certa forma - reconstruímos uma amizade infantil. Hoje ela é uma moça, está com 28 anos, divorciou-se, e é famosa por sua beleza. Como eu não ligo para beleza, prendi-me nela por sua peculiar alegria ... ela é contagiante, sempre sorrindo, alegre, divertida, a vida para ela é uma festa permanente.

Seu pai era um grande policial, um homem acima de qualquer suspeita, marcou época na polícia gaúcha. Sua mãe, uma pessoa exemplar, religiosa, éramos todos da mesma Igreja, uma pessoa de boa índole, carinhosa, meiga. Um exemplo de mãe. 

Confesso que Nastaja me ajudou muito com sua alegria, deu-me alguns conselhos (ela tem dicas bem pragmáticas, parece um amigo meu que é desembargador). Não dá com uma, troca e toca a vida pra frente. 

Ontem ela sentiu que eu passava por momentos carregados. Mas sempre alegre, doce, marcada por recordações afetivas das melhores, sempre me dá uma palavra de afeto. Ela é crianceira, como eu. É claro, agora tenho minha filha, e ela vai conhecer a Nina. Nastaja passou. É uma moça e não tenho mais como dar-lhe mandolates, nem pegá-la no colo e contar-lhe histórias. Mas é muito gratificante saber que as sementes de amor por uma criança, frutificam. Ela nunca se esqueceu de mim, tanto que agora me procurou vinte anos depois. E vamos nos reencontrar, todos, para uma janta entre amigos e amigas, reviver os doces momentos de um passado de fraternidade e afeto. 

Como a vida da voltas. Ela é evangélica, como eu. O Jesus lhe contou que a Madonna só queria saber de ler sobre Cabala. Minha eterna guriazinha provocou: "eu tenho um amigo que sabe mais Cabala que a Madonna". 

É claro que ela, divertida, tava de mentirinha, apenas lê no meu blog sobre Cabala e quando eu escrevo sobre o assunto. 

Sei que a Nina vai adorá-la. Ela é divertida, alegre, coração bom, e ontem ela me disse que tá sem namorado. Fiquei com peninha dela. Mas me lembrei de um programa de Universal, Fala que eu te escuto; o debate era bem simples: para cada homem existe sete mulheres, atualmente. 

Eu entendo a minha amiga. Só não acredito que falta um homem para ela, que é lindíssima. Certamente, é muito exigente. 

Mas tem coisas que eu não entendo na Universal. Não sei de onde tiraram tal estatística. Eu tive que arrumar uma namorada no Mato Grosso, fiz o inverso do Ruderson Mesquita. Aqui tá um problema. 

Aparecem 7 - sim - mas por dia. O final do mês são duzentas e dez. E o que a gente faz: faz como eu, fica sozinho. Até que Deus me deu uma santa, bem como eu pedi em minhas orações.(com o devido respeito, mas a minha namorada é uma santa mesmo, que mulher fantástica, e é real).  Espero não estar errado. Só busco santas. Eu tive uma. Achava isso, mas descobri que dormia com o demônio num corpo de mulher.

Acho que a Nastaja tá fazendo que nem eu. 

Ela já teve Jesus ... sabe-se lá o que Deus reserva ainda para ela.  

O negócio é ir tocando a vida ...

 

quinta-feira, fevereiro 16, 2017

Pai de Santo, se dizendo Maçom, ameaça cliente do nosso Escritório e diz que controla quem entra e que sai em São Vicente do Sul

É a primeira vez que eu tenho contato com um caso similar. Sempre vi os maçons como pessoas reservadas, sérias, agindo dentro da lei e da ordem. 

Mas, ontem, em São Vicente do Sul, um pai de santo, dizendo-se mestre maçônico ameaçou um cliente do nosso escritório, as mensagens já foram transcritas todas do celular objeto das ameaças e serão encaminhadas para as autoridades, enquanto nosso Escritório, eu, juntamente com a Doutora Josiane Mallet Balbé, vamos estudar as medidas judiciais que o caso enseja. 

Segundo este senhor, que se diz Mestre Maçônico, ele tem o dever de controlar quem entra e quem sai na cidade. Ora, que pretensão, esse senhor não tem a mínima noção do que está dizendo e nem das ameaças que está proferindo, pois na mensagem ao nosso cliente ele usou o nome de 7 pais de santos que iriam até o local ameaçar o nosso cliente. 

O caso é grave demais. 

Primeiro, eu gostaria de saber que loja maçônica este senhor integra e quero saber se isso é prática de maçom?

Segundo, quero dizer a todos que a Constituição Federal é clara ao asseverar que é livre a locomoção dentro do território nacional e não será um idiota, invocando o nome da maçonaria ou usando pais de santos, que irá meter medo em nós. 

O artigo 5º, XV, da CRFB/88 assevera que é livre a locomoção no território nacional. Portanto, este maçom, ou que se diz maçom, que acha que manda em São Vicente do Sul corre sério risco de responder a um baita processo e ainda vou chamar a lide todos os nomes usados por ele para ameaçar nosso cliente.

Ademais, a Constituição do nosso país assevera em seu artigo 5º, VI, que é livre a liberdade de consciência e crença religiosa, sendo inviolável os locais de cultos e liturgias. 

Já o artigo 19, I, da mesma Constituição Federal deixa claro que o Estado não pode promover embaraço ao funcionamento dos locais de cultos. Alerto que uma viatura da Brigada Militar, ontem a tarde, passava ostensivamente em frente ao local do culto do nosso cliente. Alerto ao comandante da Brigada Militar que, se esse senhor, pediu para uma viatura da Brigada intimidar nosso cliente, vou direto ao comando da Brigada em Porto Alegre e avisarei imediatamente a imprensa e o governo do Estado, sendo que já acionei a comissão de direitos humanos da Assembleia Legislativa. 



Por fim, este senhor que enviou as ameaças ao celular do nosso cliente, exigindo que ele se filie a uma tal associação, afora um arrogante, metido, deveria ter uma orientação jurídica antes de produzir provas contra si mesmo, pois as gravações são claras, e ele a loja maçônica dele devem desconhecer um princípio constitucional insculpido no artigo 8º, V,    da CRFB-88, que assevera que ninguém é obrigado a filiar-se ou a permanecer filiado em entidade de classe, leia-se sindicato, associação e/ou similares. 

Este episódio deste senhor usando (ou não) o nome da maçonaria e dizeres apologéticos a lúcifer está terrivelmente enganado conosco. Aqui não temos medo de ameaças, vivemos sob o império da lei, da constituição e da ordem. Respeitamos e estamos inseridos no Estado democrático e de direito. Submetemo-nos à legalidade. E também não temos medo nenhum de lidar com essas bobagens de forças ocultas, isso não nos coloca medo.