Páginas

domingo, março 26, 2017

Duas mulheres apreciáveis, um lugar divino e uma loucura sincretizada em arquétipos do desejo

Hoje aniversariam duas mulheres pelas quais tenho um grande afeto. A Alessandra, que hoje assessora o Rafael, querida amida, é uma pessoa fantástica, admirável. Não quero aqui abordar nada de política, mas Alessandra é um raro exemplo de mãe. Abriu mão de tudo em sua vida para se dedicar ao exercício da maternidade. Foi de uma grandeza ímpar, um caso raro, assumiu sua filha e dedica sua vida a ela, mesmo que isso tenha implicado em sacrificar a sua própria história, seus compromissos e sonhos. É um dos casos de maternidade raros que eu conheço. Ademais, é uma mulher honrada, não é destas que vive se fresqueando, não é deslumbrada, sabe se portar na sociedade. É uma grande mulher, é uma grande mãe e sua vida é um monumento à dignidade da condição de mulher que presta e têm valores. 

No dia do seu aniversário, não poderia furtar-me deste reconhecimento e nem deste registro. 


Quem também nasceu neste dia, é minha querida amiga Priscila Muller, casada com o Taner, mãe do João e filha do meu querido amigo Eugênio Muller. Eu não sabia da existência da Priscila, embora fosse amigo do seu pai, no tempo dos dinossauros. Até que um dia ela me procurou, acreditem, querendo saber de um veterinário para tratar de um cachorrinho de rua. 

Como vi que era uma bióloga, logo imaginei que era amiga da Eliziane e não quis responder. Passaram-se dois meses e ela voltou a falar comigo. Aí percebi que ela estava mesmo atrás da solução para a doença de um cachorrinho. Ficamos amigos, ela soube a minha história, ela sabia alguma coisa, era amiga da outra ...

... no fim quase morri.

Mas Priscila é de um berço fantástico. Tem um coração imenso, bondosa, muito bondosa, não nasceu para viver neste mundo, é uma alma livre num corpo preso nas amaras das instâncias morais. Teve prudência para dar os passos certos, sempre amou seu esposo, sempre amou seu filho e também abdicou de tudo para ser mãe, mesmo sendo mulher. Este dilema nietzsciano dela é de todas as jovens mães. Aí cabe a ponderação, o equilíbrio e a razão, justamente para preservar a integridade física e psíquica daquele ser que geramos: nossos filhos. Ela, foi o filho dela.

Outro dia eu tive que discordar de minha psicóloga e sou - muitas vezes - incompreendido. Para mim, não basta ser mãe para ser Mãe. Existem mães que são piores que cadelas de rua e seus futuros estão inscritos na história da blasfêmia, mesmo que elas não tenham alcance e consciência da podridão de suas vidas, nem de como enlamearam e destruíram a integridade psíquica dos seus filhos e filhas. 

Portanto, para mim, ser mãe não é parir e nem ser pai um ato ejaculatório. É muito além disso. É gerar e gerir o destino para a vida e o mundo, com valores.

Priscila é, na minha opinião, a mulher mais admirável de São Francisco de Assis. Esforçada, batalhadora, incansável, mesmo nas horas mais tristes, sempre tem um sorriso, uma palavra de afeto, uma expressão de carinho. Ela tem todo o meu reconhecimento. 

A vida é cheia de mistérios. 

Dia 14 de dezembro de 2016 eu teria uma audiência em Itaqui. Caso Nina. Peguei o carro, um pen-drive com músicas sacras e Bach ao cravo; e pus-me na estrada, sem pressa. Adoro viajar a noite. Foi uma viagem tranquila. Serena. Estava sem sono. Aqui chegando, fui numa loja de conveniências e saí, no lusco-fusco que separa a claridade do dia que emerge com a noite que se esvai e fiquei a admirar a beleza da arquitetura daqueles velhos casarões e prédios abandonados. É algo raro, Itaqui tem uma beleza esplendorosa, talvez poucos consigam captar o que eu capto. Meu coração palpitava ante a beleza de tantos prédios lindíssimos, arquitetura arrojada, plasticidade rara ... senti que ali ficava uma parte de mim para sempre. 

Eu conheço muitas cidades do Brasil, outras tantas de outros países. Mas existe uma mágica, algo inexplicável, que é o bem que o local nos proporciona. Isto é espiritualidade. É além da razão, é um amor muito forte, muito sublime. É uma descoberta, é um encanto. 


Hoje acordei cedo, muito cedo, quis reviver todas as emoções daquele 14 de dezembro de 2016. A cidade estava vazia. Um que outro carroceiro. Um pescador solitário. Um barquinho. Na orla do rio, casinhas humildes, algumas chaminés ainda largando uma rara fumaça. O cenário é bucólico. Mas meu coração estava em festa, contemplativo, feliz.

Depois de rodar e rodar, e rodar e rodar, inclusive de deixar uma viatura da Brigada atônita, com o sol tomado vulto de primeiros raios escassos entre nuvens, decido voltar ... A camionete é grande demais e arranho um lado na estreita garagem. Pouco me importo. 

Abro as portas. Subo. Vou na geladeira, tomo um suco de uva. A porta do quarto estava fechada. A TV ainda estava na Globonews. Fico em dúvidas entre deitar ou voltar para a sala. Abro a porta do quarto. Lençóis de cetim cinza-prata claros ... Deitei-me suavemente. 

Depois de tudo, não durmo mais. 

Fico no computador. 

Descubro o aniversário da Alessandra e da Priscila. 

Não sei como a amo tanto, de onde vem tanta afeição. 


Devem ser nossas almas errantes. Mas procuramos ser certinhos. Nunca consigo esquecer-me de Gaston Bachelard e suas instâncias morais. Foda-se, hoje sou mais Wilhelm Reich. Nunca somos uma coisa só. Basta pensar. Somos uma conjunção e uma herança de valores. Eu estou aqui, mas coração já viajou, em busca do impossível, dos sonhos, ensaios e vôos frustrados. 

Mas vou seguir voando...

Minha carteira de moto venceu de 1992. Agora, com minha filha completando 7 anos, decidi renová-la. Vou voltar a andar de moto. Sentir o vento no rosto, o prazer da liberdade, o voo impossível, a arte ... nessa semana começo a fazer todos os procedimentos outra  vez ... na auto-escola...eu que fui motoqueiro por tantos anos nesta vida. 

Tenho tantas estradas para percorrer. 

sábado, março 25, 2017

Reverendo CAIO FÁBIO: "Culto é uma coisa para imbeciloides e idiotados."


O outro lado da vida, o pós-morte e o vir-a-ser

Ao tomarmos um raciocínio como verdadeiro, absoluto, dogmático e único, estabelecemos as premissas que julgamos ser universais. Bem, o absoluto, é o ponto de partida para a reflexão em cima de qualquer construção discursiva.

O discurso deísta, assim como o discurso ateísta, parte do pressuposto de que suas verdades são únicas, absolutas, dogmáticas e verdadeiras. Assim ocorre com os espíritas, com qualquer credo e qualquer não-credo, pois o próprio ateísmo é um credo, assim como o agnosticismo.

A morte é absoluta?

Eu diria que, hoje, é. Dependendo do enfoque. Meu corpo vai ficar, a vida vai sair. Mas o que sai do corpo?

É claro. Todos logo têm a resposta na ponta da língua. A alma. O espírito.

Muito bem.

O pós morte é o começo de toda a fantasia. E tudo com direito a alegorias, seja na versão espírita, seja a visão de vida eterna com o céu e o inferno ... tem até um estágio no purgatório. Até hoje não entendi bem se o purgatório é uma ante-sala do céu ou do inferno. É como um estágio probatório da alma. Já Stephen Hawking, o nosso deus do ateísmo, assegura que após a morte vem o breu. O nada.

Sou dado a estas reflexões. Volta e meia ocorre-me uma certa realidade paralela. Eu vivo sozinho, isto é público. Mas vivo sonhando que existe um monte de gente ao meu redor. Não sei se é sonho, não sei se é uma realidade paralela, acho que ainda vamos levar um tempo para entender nosso cérebro.

Não entendo como é a questão da consciência no espiritismo. Mas é uma versão bem interessante, pelo menos não é tão monótona como a vida eterna. Imaginem que castigo viver para sempre. 

Eu noutro corpo, até não é má ideia.

Pela versão espírita, sou uma alma reencarnada.

Pela versão deísta, sou uma única alma.

Quem tem razão nisto tudo?

Eu mesmo respondo: ninguém.

O ideal seria morrer e voltar para contar a história. Mas até hoje isto não aconteceu. E então vamos indo. Caminhando e cantando, cada qual com sua versão. Cada qual com sua crença, cada qual com sua ilusão.

Meu sonho era morrer e poder voltar, nem que fosse para fazer uma postagem, breve e rápida, fazendo um pequeno relato sobre como é a vida do outro lado.

Se existir; e o Hawking não tiver razão.

Do contrário, terá sido tudo em vão.










Amanhã eu volto

Participei de uma solenidade religiosa, agora a noite, em Itaqui, onde cheguei hoje cedo para passar o final de semana.

Dou graças a Deus por tudo transcorrer bem. Basta a gente sair um pouco de Santiago, bate a saudade. 

Amanhã estou de volta. Gosto muito dos louvores mais tradicionais, fazendo jus a minha velha origem evangélica. 


sexta-feira, março 24, 2017

O poder de mobilização do futebol de várzea em Santiago e a integração de classes

Sempre que analisei o contexto de ampla hegemonia do PP em nossos bairros, um fato bem singular e que se reflete nas sucessivas vitórias pepistas é o amplo controle do futebol de várzea. 

Talvez poucos saibam entender o poder de mobilização da várzea e da integração que o futebol gera.

Reside aí, no meu entendimento, o principal elo de apoio do PP nas classes C, D e E de Santiago. São milhares de pessoas envolvidas direta ou indiretamente.

Júlio Ruivo fez um grande investimento e um grande acerto quando fechou com  o futebol e quando selou uma importante aliança com o líder deste movimento em Santiago, o desportista Luciano Cardoso Vieira. 

Luciano tem uma força que poucos sabem entender, bem como seu poder de mobilização. É o maior cabo eleitoral de Santiago de todos os tempos. Viajei com ele, ontem, e ele me relatou sua disposição de bancar a candidatura Júlio Ruivo no seu meio em Santiago. Agora, eu realmente acho que Ruivo deslancha. Com o apoio do futebol de várzea, a coisa muda. 

Oxalá Tiago e a Mara tenham a mesma visão e sigam investindo nesta linha.

Esporte é saúde, gera a integração entre classes sociais e pari passu incentiva o combate as drogas. 

Admiro muito o futebol,  a mobilização e a força do futebol santiaguense, em especial, o trabalho incansável de Luciano Cardoso Vieira e dos gestores públicos que compreendem a abrangência e a extensão desse segmentos dos desportes. 

A vida e a viagem

Terça-feira, eu passei o dia em Santa Maria; casualmente, encontrei por lá meu querido amigo Ruderson Mesquita, sempre alegre, espontâneo e festivo quando revê os amigos.

Bem, a questão da minha ausência cada vez mais sentida na blogosfera, está por conta de minha saúde. Este medicamento, o Cilostasol, afora ativar a circulação sanguínea é anti-AVC. Mas a questão é o enjoo permanente,  a ânsia de vômitos constantes e isso quebra o equilíbrio mental da gente. Para escrever, raciocinar, é bem complicado. 

Até não sei até onde vou. Meu desejo honesto, é morrer em pé, trabalhando e nunca numa mesa de cirurgia. Eu estou muito bem, fisicamente, o problema todo foi esta herança de capotagem e este coágulo numa veia que conduz sangue ao cérebro, é uma ameaça permanente, a gente nunca sabe. 

Morrer, é de menos, eu tenho muita consciência sobre isto. O problema é a gente ter um AVC e ficar inútil, vegetando. Por isso até defendo a eutanásia. E a minha filha, é claro. Tadinha. Mas total nossas vidas já ruíram mesmo, é uma situação que eu não vou consertar, foi um estrago espiritual sem precedentes, certamente haverá dois ônus; um, na Terra, e outro com o Criador. Com Deus, é a parte que menos me preocupa ... sei o que eu fiz e sei o que eu faço. Aqui na Terra, às vezes, a gente recebe algumas surpresas ... É o destino de cada um. É nossa sina. Eu tenho uma amiga, amiga mesmo, a gente se dava de muitos anos. Aí ela me mandou um convite para amizade no facebook. Antes de aceitar o convite, ela morreu. Uma morte boa, não sofreu, mas eu vi que a morte é um detalhe e uma fração de segundos e a gente se vai.

O próprio acidente que eu sofri, já foi produto da minha separação, de destruição do nosso lar ... não fossem estas viagens loucas, desesperadoras, nada disso teria acontecido.

Mas Deus sabe o que faz. Por isso, apesar destes enjoos nojentos, nasueantes, eu sei que tenho que passar por isto, estou nas mãos de Deus e tenho certeza que minha filha, por ser minha filha, nunca ficará desamparada. 

Ontem, eu precisei ir a Itaqui e é uma viagem cansativa demais. Ao pessoal que reclama, apenas minhas breves explicações. 

A todos meu forte abraço e meu carinho de sempre. 

"hay que endurecerse pero sin perder la ternura jamás".

Poderia ser cálido?




Aviso aos navegantes

Eu sou jornalista, devidamente inscrito no MTb-RS e reconhecido como tal pelo Estado. Portanto, se este é o novo entendimento do sigilo da fonte, estou devidamente dentro de minhas prerrogativas asseguradas pelo artigo 5º, XIV, da CRFB. Ademais, como Advogado, devidamente inscrito na Ordem dos Advogados do Brasil, tenho prerrogativas legais e constitucionais, inclusive da inviolabilidade do meu escritório. 

Bem, se eu sou Advogado e jornalista e gozo desta dupla prerrogativa, o problema não é meu; é do Estado e do aparato legal  e constitucional do Estado. Só que eu não abro mão dos meus direitos. 

COMBOIO DA POLICIA FEDERAL NA REGIÃO


A situação está estranhíssima e até agora ninguém sabe de nada. Mas o caso tem contornos sérios demais.

Um comboio da Polícia Federal, usando a estrada de chão, Unistalda a Maçambará, chamou muito a atenção dos mais ligados. 

O zum-zum-zum tomou conta dos meios jornalísticos regionais e estão todos tateando no escuro. Agora, depois que prenderam blogueiros, estão todos com medo. 

É claro que alguma operação está em curso na região. Passeando, nas estradas de chão, empoeiradas, é que a Polícia Federal não estava, ainda mais em comboio. 

Ao saírem do asfalto, queriam desviar a atenção e contar com o fator surpresa. 

Os telefones da Nina não pegam e estou angustiado. 

Mas que tem coisa grande, tem. Só que nem a civil e nem a P2 locais sabem de nada. O assunto é bem secreto. Por aí já da para tirar uma base. 

Já me disseram do que se trata, mas eu não estou acreditando muito. Vamos aguardar. Fatos novos vão surgir.  

(foto ilustrativa dos arquivos).

quinta-feira, março 23, 2017

Boate Kiss, acompanhe o julgamento em tempo real

A equipe da assessoria de imprensa do TJRS está realizando cobertura e transmitindo em tempo real pelo Twitter a sessão de julgamento do recurso em sentido estrito do processo criminal sobre as 242 mortes na Boate Kiss. 
Para mais informações, acesse:  Julgamento recurso Boate Kiss.

quarta-feira, março 22, 2017

Sim ou não a terceirização, como votou a bancada gaúcha

Afonso Hamm PP -  Não - surpresa geral
Afonso Motta PDT - Não  
Alceu Moreira PMDB - Sim 
Assis Melo PCdoB -
Não
Bohn Gass PT - Não
Cajar Nardes PR -  Sim
Carlos Gomes PRB - Sim
Danrlei  -  PSD Sim
Darcísio Perondi - PMDB Sim
Henrique Fontana - PT Não
Jerônimo Goergen - PP Sim
João Derly -  REDE Não
Jones Martins - PMDB Sim
José Fogaça PMDB Não - Surpresa
Jose Stédile - PSB Não
Luis Carlos Heinze - PP Sim
Marco Maia - PT Não
Marcon -  PT Não
Maria do Rosário - PT Não
Mauro Pereira - PMDB Sim
Paulo Pimenta -  PT Não
Pepe Vargas - PT Não
Pompeo de Mattos  - PDT Não
Renato Molling - PP Sim
Sérgio Moraes - PTB Não
Yeda Crusius - PSDB Sim


Foram 15 não e 11 Sim 

terça-feira, março 21, 2017

Amor, arte, expressão e liberdade







Vejam o perigo desta medida provisória

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos
Exposição de motivos
Dispõe sobre a diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público, em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de lei:

Art. 1º  Fica autorizada a diferenciação de preços de bens e serviços oferecidos ao público, em função do prazo ou do instrumento de pagamento utilizado.

 Parágrafo único.  É nula a cláusula contratual, estabelecida no âmbito de arranjos de pagamento ou de outros acordos para prestação de serviço de pagamento, que proíba ou restrinja a diferenciação de preços facultada no caput.

 Art. 2º  Esta Medida Provisória entra em vigor na data da sua publicação.

 Brasília, 26 de dezembro de 2016; 195º da Independência e 128º da República.


MICHEL TEMER
Eduardo Refinetti Guardia
Ilan Goldfajn
Este texto não substitui o publicado no DOU de 27.12.2016 e republicado em 28.12.2016

-----------------------------------------------------------------------

O Doutor Maurício Maronez, da Justiça Federal, aqui de Santiago, trouxe à luz de nossa razão, o absurdo desta medida provisória. 

Ele próprio exemplifica: "Essas medidas provisórias de final de ano são sempre um perigo. Está autorizado... salvo melhor juízo, preço diferenciado para Cartão de Crédito". 
 
Antenem-se operadores do Direito.
 
 

  

Nelson Jobim fala sobre o caso Lula e diz "tudo são ilações"

Importante entrevista do ex-Ministro do STF, Nelson Jobim, um dos mais respeitados juristas do pais, hoje, em Zero Hora.

O trecho mais importante da entrevista é quando ele fala sobre a possibilidade de Lula concorrer em 2018.

Vejamos as palavras de Nelson Jobim:

" Lula, se não tiver problema de inelegibilidade até lá. Lula só ficará impedido de concorrer se, até lá, houver condenação em segundo grau. Nos processos que conheço, é difícil ter condenação efetiva, porque tudo são ilações. Está havendo o discurso acadêmico de mudança da natureza da prova penal. Isso é instrumental. Nossa tradição era a condenação depender da prova e da certeza. Agora se fala em "dúvida razoável". Isso é importação do discurso americano: para a condenação, basta você não ter uma dúvida razoável. Aí surge o problema: quando a tua dúvida não é razoável?"


Evangélico: pode ir no motel ou não?


segunda-feira, março 20, 2017

Peça Friboi !!! Entenda os porquês.

Não deixem de assistir este breve vídeo. Serve como reflexão do papel fantoche e manipulador dos artistas e garotos (e garotas) propaganda de um modo em geral. 

A casinha pode virar um caso ... eleitoral

Li a decisão da juíza de direito Dra. Ana Paula e a polêmica, no plantão de final de semana, envolvendo a procuradoria do município e o munícipe que construiu sua casinha numa área de APP.

O morador, que bancou a campanha de Tiago e Cláudio em Lavapés, está se achando enganado.

Com uma farta documentação, provando que virou o jogo, vem um novo capítulo neste embate. 

Recebi o dossiê (dossier) completo ... como sempre, as notícias chegam sem eu pedir. 

Esclarecimentos

Envolvi-me numa polêmica sem precedentes ao divulgar uma lista que é pública. É evidente que não vou revelar minha fonte e comprometer um amigo. Ninguém é tolo e todos sabem bem a origem da lista que parou em minhas mãos. Ela foi o ponto de partida para a PF destrinchar todo este esquema da carne podre. 

A lista cinge-se ao Rio Grande do Sul. É rigorosamente tal e qual está no site do TRE-RS. 

Por hora, entendi ser prudente retirar a lista tal e qual estava. Vou redigitalizá-la e aí sim publicarei-a em definitivo. 

A carne fraca da mídia, por Juremir Machado - Correio do Povo

A PF cortou na carne de dois gigantes do agronegócio brasileiro: JBS e BRF.
JBS é uma ficção engordada pelo BNDES do PT.
Na mídia atende pelos nomes de Seara e Friboi.
BRF, dando nome aos bois, é Sadia e Perdigão.
Estranhamente petistas saíram em defesa das empresas denunciadas.
Alguns até garantem que se trata de uma armação para favorecer os Estados Unidos.
Afirmam que a PF deveria ter sido discreta.
Queriam continuar comendo carne podre?
É uma forma de simular responsabilidade e de fazer uma crítica retrospectiva. A Lava Jato teria quebrado empreiteiras e gerado desemprego no Petrolão. A esquerda “responsável” estaria mostrando maturidade ao não defender o mesmo procedimento agora no caso da carne. O país em primeiro lugar.
Conversa fiada.
Se tem rolo, precisa denunciar aos berros
Michel Temer foi comer churrasco com embaixadores para mostrar que está tudo bem.
O jornal ruralista Estado de S. Paulo deu manchete: “Temer leva embaixadores à churrascaria que serve carne importada”. A reportagem traz entrevista com funcionário da casa.
O jornal do empresariado urbano Folha de S. Paulo disse o oposto: “Churrascaria que serviu Temer usa carne de empresas investigada”. A reportagem falou com o gerente da casa.
O Fantástico da Rede Globo não tugiu nem mugiu. Ignorou esse “detalhe”.
E não citou os nomes dos frigoríficos.
Afinal, não se maltrata quem paga a conta.
A carne é fraca.

A bancada gaúcha deveria se chamar bancada do boi

Recebi um amplo dossiê com as doações dos deputados federais do Rio Grande do Sul. Receberam destes frigoríficos JBS e BRF meio geral, e da bancada do PMDB e do PP deriva-se a verdadeira bancada do boi. 

É um escândalo sem precedentes para a nossa história política. 

São documentos oficiais, colhidos das páginas do TRE-RS, portanto, públicos e sem segredo de justiça. 

Tenho vergonha em divulgar esta lista.

A coisa está mais podre do que a gente pensa.

Quando vejo um pobre miserável ter sua casinha demolida porque ali é uma área da APP, quando vejo o tacão implacável da espada na cabeça destas pessoas, penso até onde vale a pena viver dentro do Estado de direito.

Para quem pensa um pouco, a situação é enlouquecedora. 


FRIBOI DERRUBA BOLSONARO E EXPÕE A SISTEMÁTICA DE LAVAGEM DE DINHEIRO POR DENTRO DOS PARTIDOS POLÍTICOS

Eu sempre fui muito crítico ao ler uma notícia, ao acompanhar a trajetória de vida de um candidato. Honestamente, mesmo pensando diversamente em muitas questões do deputado Bolsonaro, acreditava em seus discursos quando ele sustentava que não tinha o rabo preso com empresários e que o dinheiro usado em suas campanhas eram recursos próprios, de familiares e amigos da caserna. 

Agora, veio à tona que ele recebeu propina da FRIBOI no valor de 200 mil reais, com a malandragem de um golpe contábil, pratica usual entre os partidos. Em sua contabilidade perante do TSE ele declara que recebeu como doação do diretório nacional do PP e ainda teve a cara de pau de dizer que tinha recusado dinheiro da FRIBOI.

Agora, a Polícia Federal detonou o esquema, mostrando que as propinas eram para manter o PMDB e o PP, ficou claro a origem dos 200 mil reais que o PP lhe fez de doação. 

Em outras palavras: a FRIBOI doou a propina ao PP, partido ao qual ele era filiado, e o PP repassou-lhe 200 mil reais. Jogando contra o próprio partido e cuspindo no prato que comeu, Bolsonaro, sabendo do esquema, mas tendo recebido a "doação", sai alardeando que se negou a recebeu propina da FRIBOI.

Por mais que eu não fosse Bolsonaro, tinha a ilusão de que ele e outros políticos, apesar da podridão geral, ainda fossem honestos e limpos, o que sempre me configurava como uma ponta de esperança na decência e no campo ético.






domingo, março 19, 2017

O tempo de tudo na vida

Eu acho que para tudo a gente tem o seu tempo na vida.

Decididamente, eu não queria ser pai, nunca escondi isto, nem nos meus livros, nem nos meus escritos impressos e digitais. 

Contudo, a Nina veio ao mundo e, desde então, não me furtei de assumir o papel que a delegação divina elegeu-me. 

Vivi um casamento fracassado e tenho plena consciência do sacrifício, da dor e do pesar imposto a minha filhinha. Não sou de transferir culpas e a culpa pelo fracasso de tudo e da dor dela são minhas. 

Vou tentar ajudar minha filha até onde der, até ela ficar preparada para a vida e o mundo. Ela vai conhecer seus namorados, ter um marido e seus filhos. A educação dela é o que mais me angustia.

Honestamente, assumir relacionamentos com mulheres com filhos, é sempre uma fábrica de problemas e relação nunca será completa. Creio que isso não é de Deus, infelizmente, eu creio nisso. Com a minha idade, namorar com pessoas mais novas, é certeza da insucesso, quase uma obviedade. Meu caminho natural, nessas alturas, é um só.



Meu tempo já passou. Eu já fui. 

Meus leitores são inteligentes e sabem o que eu quero dizer com isto. 

O judiciário está mostrando as entranhas da podridão do país

Eu sei que nem tudo é perfeito neste mundo. Agora, a despeito das críticas que, eventualmente, tenhamos sobre o poder judiciário, a grande verdade que emerge nesta nação, especialmente pós a operação carne podre, é que o judiciário, juntamente com o MPF e a Polícia Federal, estão mostrando ao país as entranha da podridão das nossas elites. 

É a primeira vez que se vê ricos na cadeia, governadores, senadores, deputados federais, presidente da câmara, empreiteiros, empresários de grande porte ... e o que mais ainda não vai aparecer.

Vamos dar um desconto ao Moro, é claro que ele é tucano, e pegou no pé dos petistas, o que vicia um pouco a imparcialidade do judiciário, pela expressão símbolo que ele representa, mas o poder judiciário está se mostrando grandioso, exemplar. Por mais que a gente fique triste com tanta corrupção de nossos políticos, a verdade é que tudo está vindo à tona e o Brasil não será mais o mesmo. 

É claro que nossa Constituição precisa ser mudada, inclusive o sistema de escolha dos ministros do STF, e isso aponta sempre para a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte. 

Mas uma Polícia digna, bem remunerada, um poder judiciário autônomo e um MP independente, por incrível que pareça, são eles que estão trazendo luzes de esperança à nação brasileira. 

É claro que urge uma reforma política antes da constituinte, especialmente com o financiamento público das campanhas, adoção do voto distrital, fim da reeleição, e transformar o crime de corrupção em crime hediondo. Estes políticos que roubaram do setor público, são os maiores criminosos, pois roubaram o leite das crianças, o material escolar dos alunos, o remédio dos doentes, o leito do hospital ... esta gente merece apodrecer  na cadeia ... eu, por mim, o ideal seria fuzilar estes bandidos em praça pública para dar exemplo ... mas como pena de morte não existe no Brasil...não existe porque nós não queremos, somos cheios de pruridos da moral cristã ...então eles curtem uma prisão e logo logo estão nas ruas. 

A política é uma arte nova e deveria ser feita por gente honesta, proba, séria ... não acho que todos os políticos sejam podres, mas que são poucos, são. Até porque o sistema é corrupto e sem dinheiro ninguém se elege. O campo das idéias não tem valor em nosso meio, quando isso deveria ser tudo.





sábado, março 18, 2017

Uma noite no Parque Tiaraju

Na noite desse sábado, após uma tarde maravilhosa, levei a Nina ao Parque Tiaraju, Ficou horas se divertindo, aproveitando os diversos brinquedos e curtindo tudo intensamente.





Acrobacias na arte 



Água mineral ao invés de refri

Crepe e lanches





Andando de bicicleta para não perder a forma


Pai de menina ... uma menina que adora gastar

Nina veio para Santiago comigo. No caminho, ai de mim se não pare no bar de Unistalda, onde ela adora comer coxinhas. Como está proibida e tomar refris, foi suco de uva. Felicidade completa.

A Nina vai ter que casar com um marido muito rico. Apesar de seus seis anos, como toda mulher, é um funil para gastar. Pediu-me uma meia-calça. Fui até a loja. Daí já decidiu levar um calçado de Barbie. Tudo bem, pai é pai. 

Como eu a prometi cada final de semana uma boneca, ela não deixou por menos. Eu, tonto, ao invés de comprar uma mais barata, deixei ela escolher. É claro: escolheu a mais cara que tinha. Pai é pai. Total, não vou ficar mais pobre e nem menos rico, por causa de uma boneca. O importante é que ela ficou feliz feliz feliz. 


No mesmo trajeto, convidou-me para comprar seus sucos naturais, frutas, uvas, mangas, bananas, gelatinas... Minha filha passa, mas todos as mulheres são assim. Mas ela é meu amor e pouco me importo com os gastos dela, por isso procuro ganhar bem.
No meu apartamento, ela virou a cozinheira. É claro, almoçou no Batista, mas as gelatinas é ela mesmo quem faz. Como toda mulher, adora o poder, e já se combinou com o Prefeito Froner de fazerem um peixe no próximo final de semana. O Prefeito é um alma doce, sabe entender as crianças, dá trela para a Nina ... 


E a noite, Parque Tiaraju.



sexta-feira, março 17, 2017

BOA NOITE

Agora entendo os enjoos de uma grávida. Estou tomando um medicamento de nome Cilostazol...meu Deus, é enjoo o dia inteiro. Nem com oração consigo abrandar os efeitos colaterais. 

Estou em Maçambará para apanhar minha filhinha; gosto das viagens noturnas. O Deon sempre é minha salvação. Meu carro está com um defeito na luz alta (que não baixa) e um circuito na parte eletrônica. Deixei na Agência e vim num carro alugado. Estou na fazenda da um amigo. Logo mais, retorno a Santiago.

Desejo a todos uma boa noite e bom final de semana, volto logo mais.

A bela e a fera, crítica de Francisco Russo

Nos últimos anos, Hollywood descobriu um novo filão: as adaptações com atores de contos de fadas famosos, muitos deles já aproveitados em clássicos na animação. Assim vieram Branca de Neve e o CaçadorMalévola e os ainda inéditos Pan e Cinderela. A França, que possui um cinema mais autoral sem deixar de lado o comercial, resolveu embarcar nesta onda com uma versão própria de A Bela e a Fera – cuja história, não por acaso, é situada em território francês. O resultado é um filme requintado visualmente e que possui diferenças consideráveis em relação à versão mais conhecida da história, a animação produzida pela Disney que foi indicada ao Oscar de melhor filme em 1992.

A Bela e a Fera - FotoDe imediato, o que salta aos olhos neste novo A Bela e a Fera é a qualidade técnica. Direção de arte, figurino e fotografia (com muitos cenários criados em animação computadorizada) se destacam, gerando um mundo fantasioso que mescla beleza e um certo tom sombrio. Inclusive, esta dualidade é refletida no próprio desenvolvimento da história, já que o romance entre Bela e a fera não é muito aprofundado. Há um fascínio e curiosidade um pelo outro, mas a paixão em si fica subentendida e, em certos momentos, é substituída pelo animalesco e até insinuações de erotismo. Entretanto, nada que possa impressionar os pequenos que se animarem a ver o longa-metragem, é bom ressaltar.
As mudanças principais em relação à trama conhecida se referem à família de Bela, que ganhou irmãos praticamente inúteis à história como um todo. O passado da fera também ganhou contornos mais fantasiosos, até mesmo para ampliar a possibilidade do uso de efeitos especiais, assim como a importância da rosa tem agora outro motivo. Tirando estes detalhes, trata-se da história como a conhecemos. Outro ponto importante: a trama é narrada para duas crianças, de forma a ressaltar o lado conto de fadas e, ao mesmo tempo, brincar com a possibilidade dela ser real. Uma ideia meio manjada, mas que funciona a contento dentro da proposta do filme.

No fim das contas, este novo A Bela e a Fera é um filme mais belo do que propriamente bom. Léa Seydoux surge apenas correta, explorando mais sua beleza do que compondo uma princesa cativante, enquanto que Vincent Cassel praticamente se esconde debaixo de tanta maquiagem e efeitos especiais – é impossível reconhecê-lo na pele da fera! Vale a pena ser visto mais pelo lado técnico, já que possui um lado artístico bem interessante.

Muda o entendimento de coisa julgada


Coisa julgada pode ser revista se dados falsos basearam decisão
A sentença judicial transitada em julgado, a chamada coisa julgada, pode ser flexibilizada quando a decisão teve como base dados errôneos que levaram a indenização exorbitante por desapropriação. Esse foi o entendimento da 10ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, ao julgar uma apelação da Fazenda paulista que questionava o valor de uma expropriação em razão da criação do Parque da Ilha do Cardoso, no litoral sul do estado. Os membros do colegiado concordaram com os argumentos do governo, que diz que o terreno foi superavaliado por causa de laudo tendencioso do perito original.
Para o relator do caso, Marcelo Semer, a indenização fixada prejudicou o erário porque foi fixada com base em parâmetros que não condizem com a realidade. Por esse motivo, resultaram em valores irreais, incompatíveis com aquilo que, por dever constitucional, devia ser indenizado.
Ele concluiu que o laudo desprezou todas as características que pudessem comprometer ou dificultar a exploração comercial do terreno pelos proprietários. O trabalho ocultou, por exemplo, porções significativas de morro e mangue. “Verifica-se, pois, não apenas que o laudo pericial congrega um, ou mais equívocos, mas que todos esses equívocos foram produzidos no sentido de valorizar em demasia o imóvel, dando-lhe atributos que não tinha e retirando as deficiências que lhe eram próprias, por motivações que escapam ao conhecimento deste processo”, disse.
Por isso, Semer afirma que, nessas condições especiais, é cabível a flexibilização da coisa julgada. Na decisão, ele cita vários casos em que se admitiu essa relativização, todos relacionados a desapropriações, julgados pelo Superior Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal. “A princípio, pois, cotejando de um lado o significativo impacto no erário, de outro, a ilicitude de sua formação, a decisão consolidada sob terreno pantanoso não deveria mesmo ser considerada impenetrável.
A Fazenda pedia na apelação a declaração de inexistência da decisão da indenização por meio da aplicação da tese da relativização da coisa julgada com a interrupção dos pagamentos submetidos ao precatório (R$ 18,6 milhões) e a repetição dos valores já gastos pela desapropriação indireta (R$ 27,2 milhões, já levantados pelos proprietários e seus herdeiros). O governo paulista alegava que a sentença que estabeleceu a indenização é teratológica e que foi proferida em contradição aos comandos constitucionais expressos pelos princípios da justiça da indenização nas desapropriações, moralidade administrativa, razoabilidade e proporcionalidade.
Na origem, o juízo determinou a realização de perícia e extinguiu o processo, sem apreciação do mérito, por impossibilidade jurídica do pedido. Ele argumentou que refutar cálculos e critérios previamente estabelecidos judicialmente em processo desapropriatório seria afronta ao postulado da segurança jurídica e da imutabilidade da decisão materialmente transitada em julgado. A decisão da Câmara do TJ-SP reformou em parte sentença de primeiro grau para, afastando a extinção do processo sem resolução do mérito, e julgou procedente em parte a apelação da Fazenda, dando a desapropriação por quitada, permitindo ao estado o levantamento dos valores pendentes.
Clique aqui para ler o acórdão.
Apelação 0000190-76.2008.8.26.029
Fonte: Marcelo Galli - Consultor Jurídico

Trabalhando e ampliando o foco na região

Eu andava revoltado, todas as manhãs aquela frescura de pentear cabelo. Radicalizei, raspei a cabeça. Minha filha vai adorar, ela gosta de passar a mão na cabeça raspada. Pretendo não deixar mais o cabelo crescer. Incrivelmente, me sinto bem. É liberdade, me sinto despojado de vaidades...bem como recomenda a Bíblia. 

Mas, enfim, a correria não pára. Estamos envolvidos com trabalhos na região e em outros estados. Eu e a Dra. Josiane assumimos um caso em São Paulo, de um línea que pegou fogo.

Incrível, mas minha sexta-feira está cheia. Desde cedo. Só do Capão do Cipo tenho 3 casos marcados para logo mais.


Eu precisava ter uns 3 advogados a mais para vencer o volume de serviços ... e isto que estamos em dois. Nosso escritório assumiu o maior inventário da Ronda Alta. Escolha que nos honrou muito. 

A Josiane Mallet é muito ágil. 

A noção de operar o direito em cima da concepção de inteligentisia está pegando firme demais, agora estamos assumindo uma grande ação de investigação de paternidade. 

Um aviso aos navegantes:

Só atendo com hora marcada. E nosso prédio é cercado de câmeras. Até nos fundos. Ontem a tarde filmamos um movimento muito estranho ... já separamos a parte do filme, porque até provarem ao contrário todo mundo é suspeito. E estamos mexendo num vespeiro. 

Uma boa sexta-feira para todos.